A saúde pública na contramão da eqüidade: uma proposta teórico-empírica de investigação da reprodução das desigualdades sociais

Este trabalho refere-se à exposição da relação entre políticas públicas de saúde e a reprodução das desigualdades sociais no Brasil. Em um primeiro momento isso se dá por meio da reconstrução histórica das políticas de saúde que desembocaram na segmentação de clientelas, entre duas formas desiguais...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Silveira, Lara Luna da lattes
Orientador/a: Souza, Jessé José Freire de lattes
Banca: Azevedo, Sérgio de lattes, Salgado, Gilberto Barbosa lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais
Department: ICH – Instituto de Ciências Humanas
Assuntos em Português:
SUS
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/2754
Resumo Português:Este trabalho refere-se à exposição da relação entre políticas públicas de saúde e a reprodução das desigualdades sociais no Brasil. Em um primeiro momento isso se dá por meio da reconstrução histórica das políticas de saúde que desembocaram na segmentação de clientelas, entre duas formas desiguais de assistência à saúde. O SUS “ideal”, que surgiu em virtude da crítica a este modelo de assistência, todavia, está longe de ser exeqüível. Entre os fatores que obstaculizam sua viabilização estão o financiamento e os problemas de gestão. Contudo, este trabalho busca dar relevância aos conflitos de classe entre usuários e profissionais da área, intensificados pelo funcionamento precário da instituição, resultado dos problemas citados. Este último aspecto torna-se importante para a compreensão das falhas na humanização dos cuidados em saúde.
This work is a reference to the exposition of the relation between public politics of heath and the reproduction of socials inequalities in Brazil. In a first moment, it occurs through the historic reconstruction of health politics that resulted in clientele segmentation between two unequal forms of health attendance. The “ideal” SUS, which had the proposal due into the critic to this health attendance model, however, is not feasible. Among the factors that make difficult his concretization exist the financing and administration problems. Nevertheless, this work try to accentuate the class conflicts among the clientele and health’s professionals, increased for the institution precarious work, result of the cited problems. This last aspect became important to understand the faults in the humanization of health care.