ANÁLISE DOS CRITÉRIOS CLÍNICOS DE DIAGNÓSTICO DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS SEGUNDO OS CONSENSOS

Polycystic Ovary Syndrome (PCOS) is diagnosed by consensus of the National Institute of Health (NIH- USA, 1990), Rotterdam (Netherlands, 2003) and Androgen Excess Syndrome - PCOS (AES-PCOS, 2006). It is important to recognize the clinical characteristics of PCOS patients in Maranhão to submit a prof...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Freire, Glaúcia Iraúna de Melo lattes
Orientador/a: Chein, Maria Bethânia da Costa lattes
Banca: Faria, Manuel dos Santos lattes, Figueiredo Neto, José Albuquerque de
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do Maranhão
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE MATERNO-INFANTIL
Department: saúde da mulher e saúde materno-infantil
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1179
Citação:FREIRE, Glaúcia Iraúna de Melo. ANALYSIS OF THE CLINICAL CRITERIA OF DIAGNOSTIC OF POLYCYSTIC OVARY SYNDROME ACCORDING TO CONSENSUS. 2012. 74 f. Dissertação (Mestrado em saúde da mulher e saúde materno-infantil) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2012.
Resumo Português:A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é diagnosticada pelos consensos do Instituo Nacional de Saúde (National Institute of Health- NIH/ EUA, 1990), de Rotterdam (Holanda, 2003) e da Sociedade de Excesso de Androgênios e Síndrome dos Ovários Policísticos (AES- PCOS, 2006 É importante reconhecer as características clinicas da SOP nas pacientes maranhenses para a apresentação de um perfil. Objetivos: Avaliar a prevalência da SOP de acordo com os consensos vigentes para SOP e Conhecer o perfil da SOP nas mulheres maranhenses. Metodologia: Estudo transversal, com amostra de 102 mulheres com diagnóstico clínico de SOP, atendidas no ambulatório de ginecologia especializada do Hospital Universitário Materno Infantil em São Luís MA. A classificação clínica foi estabelecida pelos consensos de NIH, e AES- PCOS. Os dados foram tabulados e analisados no programa Microsoft Office Excel 2007 por meio de gráficos e tabelas de frequência. Resultados: A maioria das pacientes tinha entre 20 e 25 anos (41,2% - n=42),parda 50%(n=51), solteiras 52,9%(n=54), com ensino médio 44,1%(n=45) e menarca entre 12 e 14 anos com 34,3% (n=50), aumento de colesterol total em 22,5% (n=23), HDL em 23,5 %( n=24), Triglicérides em 9,8%( n=10), glicemia aumentada em 5,8%( n=6),com hipertensão arterial sistólica, 5,8%( n=6) e diastólica, 15,7%( n=16); índice de Massa Corpórea estava maior que 30 kg/m² em 25,5%(n=26); com 51%(52) destas mulheres com a cintura abdominal acima da normalidade(88 cm). O hiperandrogenismo foi evidente em 68,6%(70) com hirsutismo em 54,3% (32) e a disfunção ovulatória ocorreu em 90,2% (92) e ovários policísticos em 78,4% (80) das pacientes.De acordo com os consensos,os aspectos disfunção ovulatória, policistose e hiperandrogenismo com 39,2% (40) pelo consenso de Rotterdam. Nos critérios do AES, foram 58,8%(60) com hiperandrogenismo e disfunção ovulatória e o hiperandrogenismo e a disfunção ovulatória pelo NIH com 58,8% (60). Conclusão: Hiperandrogenismo, disfunção ovulatória e ovários policísticos foram mais frequentes e a queixa mais comum foi a oligomenorréia. E o hiperandrogenismo, foi a expressão clínica mais prevalente independente do critério adotado.
Resumo inglês:Polycystic Ovary Syndrome (PCOS) is diagnosed by consensus of the National Institute of Health (NIH- USA, 1990), Rotterdam (Netherlands, 2003) and Androgen Excess Syndrome - PCOS (AES-PCOS, 2006). It is important to recognize the clinical characteristics of PCOS patients in Maranhão to submit a profile Objectives: To evaluate the prevalence of the PCOS according to the current guidelines for PCOS and Maranhão women, s profile. Methodology: A cross sectional sample of 102 women diagnosed with PCOS, attending at the gynecology clinic of the Materno Infantil Hospital in São Luís -MA. The clinical classification was analyzed by applying the inclusion and exclusion criteria of the NIH, and AES- PCOS. Data were tabulated and analyzed using Microsoft Office Excel 2007 by graphs and frequency tables. Results: Most of the patients were between 20 and 25 years old with 41,2%(n= 42); brown 50%(n= 51), single 52,9%(n=54); 11years of school,44,1%(n= 45) and menarche between 12 and 14 years old with 34,3% (n= 50). They were within normal anthropometrically exception to the waist circumference where the abnormality was more common in 65, 8 %(n= 52). Clinical hyperandrogenism was observed in 51 %( n= 52) of patients, predominance of hirsutism with 32,3% (n= 33) and the laboratorial with 13,7%(n= 14). Ovulatory dysfunctional was the predominant complaint in 90, 2% ( n= 92), highlights for oligomenorrhea with 61,8%(n= 63). As for the phenotypes, there was a predominance of ovary dysfunction and policistose ovarian at 48% (n= 49) (ROTTERDAM), hyperandrogenism and dysfunction was more frequent phenotypes with 81, 1% (n= 43) (NIH) and 42, 1% (n= 43) (AES-PCOS). Conclusion: The most common feature of PCOS was hyperandrogenism and the most prevalent clinical expression was found by applying the Rotterdam criteria.