O lugar da semiose: relações entre mente e cérebro

Nesta dissertação é apresentado o lugar da semiose explorando as considerações acerca do cérebro, uma estrutura física; e o lugar da semiose no seio das teorias semióticas, por um viés metafísico. São apontadas algumas relações entre a mente e o cérebro, explorando possíveis aproximações entre as ma...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Rodrigues, Mayana
Orientador/a: Souza, Hélio Augusto Godoy de
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Português:
Online Access:https://repositorio.ufms.br:8443/jspui/handle/123456789/1964
Resumo Português:Nesta dissertação é apresentado o lugar da semiose explorando as considerações acerca do cérebro, uma estrutura física; e o lugar da semiose no seio das teorias semióticas, por um viés metafísico. São apontadas algumas relações entre a mente e o cérebro, explorando possíveis aproximações entre as manifestações mentais e a fisiologia cerebral. Para abordar o cérebro, sua estrutura e funcionamento, recorremos a teóricos da neurociência e evolucionismo, como Paul MacLean, Carl Sagan, Humberto Maturana, Francisco Varela, António Damásio, Miguel Nicolelis, Steven Pinker e Oliver Sacks. Esses autores partem de uma perspectiva evolutiva para abordar o surgimento das estruturas do cérebro, e em decorrência destas, o aparecimento de certos tipos de comportamento. As teorias semióticas abordadas tratam a semiose partindo de três diferentes perspectivas: uma filosófica de Charles S. Peirce; uma biológica de Jakob von Uexküll; e a última cultural, de Iúri Lótman. Nessas abordagens da neurociência e das semióticas são demonstrados alguns entrecruzamentos entre as teorias que revelam um lugar comum da semiose, caracterizado como um lugar complexo, uma vez que envolve a perspectiva fisiológica e matérica do cérebro, bem como a perspectiva conceitual da mente, do Umwelt e da Semiosfera.
ABSTRACT - In this study we presented the place of semiosis exploring the considerations about the brain, a physical structure, and the place of semiosis within the semiotic theories, by a metaphysical bias. Points out some relationships between mind and brain, exploring possible connections between the mental events and the brain physiology. To address the brain, its structure and operation, we turn to theoretical neuroscience and evolutionism, as Paul MacLean, Carl Sagan, Humberto Maturana, Francisco Varela, Antonio Damasio, Miguel Nicolelis, Steven Pinker and Oliver Sacks. These authors start from an evolutionary perspective to address the emergence of the brain structures and result in the appearance of these certain types of behaviors. Theories dealing semiosis semiotic addressed from three different perspectives: a philosophical Charles S. Peirce, a biological Jakob von Uexküll and cultural Yuri Lotman last. These approaches in neuroscience and semiotics are shown some intersections between theories that reveal a common place of semiosis, characterized as a complex place, since it involves a physiological and materic perspective of the brain, as well as the conceptual perspective of the mind, of the Umwelt and of the semiosphere.