Escola, colonização e formação da identidade do colono : história e memórias da terra prometida de Alta Floresta – MT (1976-1982)

Em 1970, o governo federal, visando ocupar terras na Região Amazônica, desenvolveu projetos de colonização privados. Para estimular essa ocupação, o presidente brasileiro da época, Emílio Garrastazu Médici, que implantou o Plano de Integração Nacional (PIN), visando integrar a Região Amazônica às de...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Perin, Clailton Lira lattes
Orientador/a: Sá, Elizabeth Figueiredo de lattes
Banca: Sá, Elizabeth Figueiredo de lattes, Siqueira, Elizabeth Madureira lattes, Paulilo, André Luiz lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Mato Grosso
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Department: Instituto de Educação (IE)
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://ri.ufmt.br/handle/1/150
Citação:PERIN, Clailton Lira. Escola, colonização e formação da identidade do colono: história e memórias da terra prometida de Alta Floresta – MT (1976-1982). 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, Cuiabá, 2015.
Resumo Português:Em 1970, o governo federal, visando ocupar terras na Região Amazônica, desenvolveu projetos de colonização privados. Para estimular essa ocupação, o presidente brasileiro da época, Emílio Garrastazu Médici, que implantou o Plano de Integração Nacional (PIN), visando integrar a Região Amazônica às demais do país através da colonização. Com a construção da rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163), paralela à ocupação de terras, o PIN, começou a ser colocado em prática, marcando nova fase na ocupação e desenvolvimento de atividades econômicas e políticas no estado de Mato Grosso, voltados para a ocupação e colonização do Norte mato-grossense. Nesse contexto, o projeto de colonização e ocupação de Alta Floresta, através da colonizadora Indeco, buscou efetivar escola no interior do projeto colonizador. Considerava isso uma prioridade, pois ela era usada como propaganda da colonizadora para atrair os migrantes da região Sul do Brasil. Ela também ajudaria no processo de formação dos migrantes, visando a organização da escola nos projetos de colonização recente de Mato Grosso. O objetivo da presente investigação foi o de analisar a relação existente entre a escola e a colonização no interior da formação identitária dos migrantes no processo de construção do município de Alta Floresta. A metodologia usada teve por base a Nova História Cultural, com caráter qualitativo e documental, apoiada em documentos escritos e iconográficos, localizados nos acervos da Escola Vitória Furlani da Riva, no Museu da Universidade Estadual de Mato Grosso/UNEMAT-AF (Projeto Memória da Colonização), Colonizadora Indeco, SEDUC/MT, Arquivo Público de Mato Grosso/APMT, Núcleo de Documentação e Informação Regional/NDIHR-UFMT e do Grupo de Pesquisa em História e Memória da Educação/GEM-UFMT, mas também contamos com dados capturados através dos depoimentos, inseridos no campo da História Oral. Como categoria de análise, foram eleitas a colonização, a identidade e a cultura escolar, ao lado dos conceitos de representações e apropriações. Os teóricos que embasam a pesquisa são Chartier, Certeau, Julia, Sanfelice, Nosella e Buffa, além dos autores que tratam do processo de colonização das regiões Centro-Oeste e Amazônica, em particular aqueles voltados para a região Norte de Mato Grosso. Os resultados da pesquisa apontam que escola ocupou papel importante no processo de ocupação e colonização do município de Alta Floresta/MT, abrangendo a missão de atrair os migrantes e fazer com que eles abraçassem o projeto de colonização. A permanência e o consequente desenvolvimento local ocorreram devido ao processo formativo realizado por intermédio da escola. Constatou-se que, ao passar pelo processo formativo, os migrantes recebiam influência da escola e da colonizadora, influenciando também o processo, com seu modo de ser e de agir perante o novo contexto social. Mesmo com as dificuldades que o novo ambiente proporcionava, o migrante teve que se adaptar ao novo local, ao clima e à abertura da floresta, entre outras dificuldades. Coube aos princípios educacionais levá-los a adotar Alta Floresta como seu novo lugar, encarado como esperança de uma vida melhor para si e para seus filhos, era a “terra prometida”. Essa foi a principal missão atribuída à escola de Alta Floresta.
In 1970, the federal government, aiming to occupy land in the Amazon region, developed private colonization projects. To stimulate this occupation, the Brazilian president at the time, Emilio Garrastazu Medici, who implemented the National Integration Plan (PIN), to integrate the Amazon region to the other ones through colonization. With the construction of the Cuiabá-Santarém (BR-163), parallel to the land occupation, the PIN, began to be carried out, marking a new phase in the occupation and development of economic and political activities in the state of Mato Grosso, facing the occupation and colonization of Mato Grosso North. In this context, the colonization project and occupation of Alta Floresta, by colonizing Indeco, sought to effect school within the colonizing project. Considered it a priority because it was used as a colonial advertisement to attract migrants from southern Brazil. It would also help in the migrants process formation, aimed at school organization in recent colonization projects of Mato Grosso. The objective of this study was to analyze the relationship between the school and colonization within the identity formation of migrants in the building of the municipality of Alta Floresta process. The methodology used was based on the New Cultural History, with qualitative and documentary character, based on written and iconographic documents, located in the collections of the Victoria School Furlani Riva, at the Museum of the State University of Mato Grosso / UNEMAT-AF (Memory Project colonization), Settler Indeco SEDUC / MT, Public Archives of Mato Grosso / APMT, Documentation Centre and Regional Information / NDIHR-UFMT and the Research Group in History and Education Memory / GEM-UFMT, but it was also captured data through the testimony, inserted in the field of Oral History. As a category of analysis, were elected colonization, identity and the school culture, along with the concepts of representations and appropriations. The theoretical underpinning research are Chartier, Certeau, Julia, Sanfelice, Nosella and Buffa, other than the authors dealing with the process of colonization of the Midwest and Amazon, in particular those dealing with the North of Mato Grosso. The survey results indicate that school has held important role in the process of occupation and colonization of the municipality of Alta Floresta / MT, including the mission of attracting migrants and make them embrace the colonization project. The permanence and the consequent local development occurred due to the training process conducted by school insurance. It was found that, while passing through the training process, migrants received influence of the school and the colonizing also influencing the process, with their way of being and acting before the new social context. Even with the difficulties that the new environment provided, the migrant had to adapt to the new location, the climate and the opening of the forest, among other difficulties. It was left to the educational principles lead them to adopt Alta Floresta as your new place, seen as the hope of a better life for themselves and their children, was the "promised land." That was the main task entrusted to the association of Alta Floresta.