Formas de conhecimento em saúde: confrontos e viabilização em uma prática de educação em saúde

Abstract unavailable. PDF in image mode.

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:1995
Autor/a: Medeiros, Soraya Maria de lattes
Orientador/a: Coelho Filho, Paulo Ramos
Tipo Documento: Dissertação
Idioma:por
Instituição de Defesa: Universidade Federal da Paraíba
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Departamento: Educação
Assuntos em Portugês:
Áreas de Conhecimento:
Download Texto Completo:http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/9906
Citação:MEDEIROS, Soraya Maria de. Formas de conhecimento em saúde: confrontos e viabilização em uma prática de educação em saúde. 1995, 240 f. Dissertação, (Mestrado Educação) - Universidade Federal da Paraíba,João Pessoa, 1995.
Resumo Português:O presente estudo analisa as formas de conhecimento em saúde, os confronmtos e as possibilidades de viabilização nas práticas de saúde no Bairro Bom Jesus - Mossoró - RN. Consta portanto de um estudo de caso que, enquanto particularidade estudada, sinaliza sobre as possibilidades de generalização do tema. A sistematização do universo simbólico e representações sociais dos atores sociais investigados e sua contextualização histórico-social confirmam em parte as premissas iniciais do estudo sobre o conflito de classes sociais e a relação de dominação saber/poder entre a medicina institucionalizada e as práticas populares, bem como sobre a dimensão pedagógica dessas práticas e elementos próprios de uma racionalidade que orienta essas práticas. Esses elementos de racionalidade das práticas populares em saúde obedecem a uma lógica interna característica, que têm vinculação com as condições de vida e a inserção de classe social. Guarda no seu interior, também, elementos definitivamente constatados como místico-religiosos, enquanto experiência calcada na cotidianidade de forma ritualizada e sacralizada. Porém, no decorrer da pesquisa, emergem outros desdobramentos dessa racionalidade implícita às práticas e suas articulações com o universo mais amplo, tais como a constatação que a vinculação no dado existencial de sobrevivência não é única e exclusivamente território das classes populares; outras classes ou fração delas também lançam mão das ditas práticas populares enquanto espaço e alternativa de cura para os seus problemas de sobrevivência existencial ou por descrédito nas práticas oficiais. As classes populares também lutam por seus direitos de cidadania à saúde, ao acesso universal às práticas oficiais de medicina ao mesmo tempo em que procuram, conservar suas práticas de transmissão oral, exercitando-as através de um processo dinâmico e cotidiano de apropriação e (re)criação desses conhecimentos, tendo como características principais a busca da sobrevivência e a identidade de classe social.
Resumo inglês:Abstract unavailable. PDF in image mode.