Fatores que interferem no nível de qualidade de vida no trabalho segundo a percepção dos trabalhadores: estudo de caso em um hospital de trauma

Hospitals group workers of various functions and need specific demands for each type of function that is exercised, which is why evaluating the QWL of a hospital environment can contribute to the management of the organization to develop policies that promote satisfaction in the work environment and...

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:2017
Autor/a: Rocha, Lenilson Olinto lattes
Orientador/a: Gomes, Maria de Lourdes Barreto
Tipo Documento: Dissertação
Idioma:por
Instituição de Defesa: Universidade Federal da Paraíba
Programa: Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção
Departamento: Engenharia de Produção
Assuntos em Portugês:
QVT
Assuntos em Inglês:
QWL
Áreas de Conhecimento:
Download Texto Completo:http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/9922
Citação:ROCHA, Lenilson Olinto. Fatores que interferem no nível de qualidade de vida no trabalho segundo a percepção dos trabalhadores: estudo de caso em um hospital de trauma. 2017. 170 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2017.
Resumo Português:Os hospitais agrupam trabalhadores de diversas profissões e necessitam de demandas específicas para cada tipo de função que é exercida, por isso avaliar a QVT de um ambiente hospitalar poderá contribuir com a gestão da organização para traçar políticas que promovam a satisfação no ambiente de trabalho e consequentemente um bem-estar para os funcionários e melhores serviços de saúde aos pacientes que ali buscam por atendimentos. Esta dissertação identifica os fatores que mais influenciam na percepção da QVT dos funcionários de diferentes funções de um Hospital de Trauma. A pesquisa foi realizada com os trabalhadores de um Hospital, agrupados em 17 funções distintas, em uma amostra de 256 indivíduos. As coletas dos dados foram realizadas por meio de: um plano observacional com roteiro estruturado, um questionário com 34 variáveis baseadas na readaptação do modelo de QVT de Walton (1973) por Timossi et al. (2009) e 6 variáveis sociodemográficas. As técnicas de análises dos dados fundamentam-se nas análises descritivas e análise fatorial. As condições gerais de trabalho foram classificadas como insatisfatórias, cerca de 19 variáveis da QVT obtiveram percepção de satisfação ou positiva e 15 com percepção de insatisfação ou negativa, além disso, a dimensão 1 (Compensação Justa e Adequada) mostrou-se mais expressiva na percepção de insatisfação do trabalhador, seguida da dimensão 4 (Oportunidade de Crescimento e Segurança). A análise fatorial encontrou 10 fatores latentes, do modelo de QVT proposto, com variância total explicada de 65,140% e o Fator 1 (Desenvolvimento de Capacidades e Obrigações Legais) representou a maior influência na percepção de QVT dos funcionários com 22,174% do total de variância explicada. Na avaliação dos escores fatoriais por cargo, os técnicos de radiologia, fisioterapeutas e auxiliares de cozinha (copeiros e cozinheiros) obtiveram os maiores índices de insatisfação e, os cargos ligados à gestão obtiveram os maiores índices de satisfação no trabalho. A confiabilidade foi medida pelo alfa de cronbach e alcançou 0,800. Conclui-se, portanto, que a percepção da QVT dos funcionários do Hospital de Trauma sofre influência das variáveis sociodemográficas e do cargo que é exercido, e a maioria dos trabalhadores percebem com insatisfação a política de remuneração, de crescimento e desenvolvimento profissional adotada no Hospital de Trauma.
Resumo inglês:Hospitals group workers of various functions and need specific demands for each type of function that is exercised, which is why evaluating the QWL of a hospital environment can contribute to the management of the organization to develop policies that promote satisfaction in the work environment and consequently an employee well-being and better health services for patients seeking care there. This dissertation identifies the factors with more influence the perception of the QWL level of the employees of different functions of a Trauma Hospital. The research was carried out with the workers of Hospital, grouped in 15 distinct functions, in a sample of 256 individuals. Data collection was performed by means of: observational plan with a structured script, a questionnaire with 34 variables based on the readjustment of the Walton QWL model (1973) by Timossi et al. (2009) and 6 sociodemographic variables. Data analysis techniques are based on descriptive analysis and factor analysis. The general conditions of work were classified as unsatisfactory, about 19 variables of QWL obtained a perception of satisfaction or positive and 15 with perception of dissatisfaction or negative, in addition, dimension 1 (adequate and fair compensation) showed to be more expressive in the perception of worker dissatisfaction, followed by dimension 4 (growth and security). The factor analysis found 10 latent factors, from the proposed QWL model, with total explained variance of 65.140%, and Factor 1 (Capacity Development and Legal Obligations) represented the greatest influence on the perception of QWL of the employees with 22.174% of the total variance explained. In the assessment of factor scores by office, radiology technical, physiotherapists and kitchen assistants (cupbearers and cooks) obtained the highest levels of dissatisfaction, and management positions obtained the highest rates of job satisfaction. Reliability was measured by the cronbach alpha and achivied 0.800. It is concluded, therefore, that the perception of QWL of Trauma Hospital employees is influenced by sociodemographic variables and the job that is exercised, and most workers perceive with dissatisfaction the remuneration, growth and professional development policy adopted at the Trauma Hospital.