Estudo sobre a robustez de edifícios em concreto armado

Os eventos excepcionais em estruturas, tais como o impacto de veículos, explosões de gás, ataques terroristas etc., podem provocar o colapso progressivo dos edifícios e a perda de um número elevado de vidas humanas. A concepção das estruturas deve garantir que estas possuam robustez suficiente para...

Nível de Acesso:embargoedAccess
Publication Date:2016
Main Author: FERREIRA, Fernando Jose Guimarães
Orientador/a: CARNEIRO, Arnaldo Manoel Pereira
Co-orientador/a: OLIVEIRA, Romilde Almeida de
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Federal de Pernambuco
Programa: Programa de Pos Graduacao em Engenharia Civil
Assuntos em Português:
Online Access:https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/29225
Resumo Português:Os eventos excepcionais em estruturas, tais como o impacto de veículos, explosões de gás, ataques terroristas etc., podem provocar o colapso progressivo dos edifícios e a perda de um número elevado de vidas humanas. A concepção das estruturas deve garantir que estas possuam robustez suficiente para evitar o colapso progressivo. O colapso progressivo é um fenômeno pouco estudado no Brasil e praticamente ausente nas nossas normas. Atualmente, as estruturas de concreto armado são projetadas de tal forma que caso ocorra ruptura em um dos pilares, haverá a possibilidade da ocorrência do colapso progressivo envolvendo todos os pavimentos. A ruptura em um dos pilares, na maioria das vezes, torna impossível qualquer intervenção na edificação, causando, desta forma, prejuízos financeiros além do risco de morte aos trabalhadores, moradores e terceiros. Nas últimas décadas, no Brasil, foram registrados vários acidentes em estruturas de concreto armado. Tem sido observado que a construção de edifícios altos e esbeltos, com um pequeno número de pilares, é cada vez mais frequente. Nestas condições, as estruturas ficam mais suscetíveis de sofrerem colapso progressivo, caso haja ruptura de um dos seus apoios. As plataformas marítimas de extração de petróleo são projetadas para suportarem a perda de um dos seus elementos de apoio, tais como estacas ou amarras, de tal forma que os n-1 elementos remanescentes garantam a estabilidade do conjunto, evitando o colapso da estrutura. Com base neste conceito, a presente pesquisa foi desenvolvida objetivando sua aplicação a projetos de edifícios de concreto armado para que a capacidade de resistir à perda de qualquer um de seus pilares, em qualquer nível, seja assegurada, garantindo que a estrutura suporte situações imprevisíveis ou não usuais. Foi realizado um estudo da viabilidade técnica e financeira baseado na aplicação ao caso de um edifício com estrutura de concreto armado, projetado segundo a NBR 6118:2014.