Redes sociais de prevenção da violência: opacidade ou visibilidade nas inter-relações dos atores sociais e moradores de três bairros do município de Rio Grande

The city of Rio Grande, through its managers developed since 2002, a networking violence prevention and care of children and adolescents. In 2007 the State Government of Rio Grande do Sul implements in Rio Grande, with support from UNESCO, the Violence Prevention Program - PPV, in the neighborhoods...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Silva, Fabiana Jorge da
Orientador/a: Ribeiro, Maria Thereza Rosa
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Pelotas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Department: Instituto de Sociologia e Política
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.ufpel.edu.br/handle/ri/1550
Citação:SILVA, Fabiana Jorge da. Redes sociais de prevenção da violência: opacidade ou visibilidade nas inter-relações dos atores sociais e moradores de três bairros do município de Rio Grande. 2012. 214 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Huamnas) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.
Resumo Português:O Município de Rio Grande, através de seus gestoresdesenvolve desde 2002, um trabalho em rede de prevenção de violência e atenção à criança e ao adolescente. Em 2007 o Governo do Estado do Rio Grande do Sul implementa na cidade de Rio Grande, com o apoio da UNESCO, o Programa de Prevenção da Violência - PPV, nos bairros Castelo Branco I, Castelo Branco II e Santa Rita, que consistia em criar redes de prevenção da violência com os atores sociais. Após alguns anos de desenvolvimento, se fez necessário ver se as ações em rede desenvolvidas pelo município eram capazes de alterar a percepção e a vivência dos moradores daqueles bairros de Rio Grande quanto à violência. Através de entrevistas semiestruturadas e seguindo uma metodologia de análise baseada nas obras dos autores Adrián Gurza Lavalle e Robert A. Hanneman, observamos que a violência e o crime, introduziram quebras de arranjos na vida cotidiana dos moradores daqueles bairros estudados levando ao surgimento de novas formas de sociabilidades. Observamos também que a rede de prevenção analisadaé insuficiente para mudar a percepção dos moradores quanto à violência. As instituições que integram essas redes possuem uma baixa capacidade técnica de atuação e pouca representação entre os moradores. Também, constatamos através dasentrevistas com os atores sociais das instituições, que eles preferem ficar fora do debate sobre políticas públicas. As relações entre as organizações da redede prevenção da violência são na sua maior parte obrigatórias, isto é, quando existe uma determinação legal ou protocolar para que trabalhem juntas, como o Conselho Tutelar e o Ministério Público, por exemplo. Também as relações se apresentam unilaterais, quando apenas um ator consegue identificar o outro como parceiro e outras são recíprocas, quando os atores sociais são capazes de se identificar mutuamente
Resumo inglês:The city of Rio Grande, through its managers developed since 2002, a networking violence prevention and care of children and adolescents. In 2007 the State Government of Rio Grande do Sul implements in Rio Grande, with support from UNESCO, the Violence Prevention Program - PPV, in the neighborhoods Castelo Branco I, Castelo Branco II and Santa Rita, which consisted to create networks for the prevention of violence with social actors. After some years of development, it was necessary to see if the actions of the network wereable to change the perception and experience of residents of those neighborhoods of Rio Grande on the violence. Through semi-structured interviews and following a methodology of analysis based on the works of authors Adrián Gurza Lavalle and Robert A. Hanneman, noted that violence and crime, introduced breaks arrangements in the daily life of residents of those neighborhoods studied leading to the emergence of new forms of sociability. We also observed that prevention networks analyzed are insufficient to change the perception of residents about the violence. The institutions that make up these networks have a low technical capacity for action and underrepresented among the residents. We also verified through interviews withsocial actors, they prefer to stay out of the debate on public policy. The relationships between the organizations of the network to prevent violence are mostly mandatory, ie when there is a legal determination or protocols to work together, as theGuardian Council and the Prosecutor, for example. The relationships are one-sided, when only one actor can identify each other as partners and are reciprocal,when social actors are able to identify each other