Síntese e caracterização da ferrita de MnZn obtida pelo método dos citratos precursores

It was synthesized MnZn ferrite with general formulae Mn1-xZnxFe2O4 (mol%), 0,3 ≤ x ≤ 0,7 by using the citrate precursor method. The precursors decomposition was studied by thermogravimetric analysis (TGA), differential thermogravimetric analysis (DTG), differential thermal analy...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Bezerra, Maria José Oliveira da Silva
Orientador/a: Nasar, Ricardo Silveira
Co-advisor: Nasar, Marinalva Cerqueira lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Programa: Programa de Pós-Graduação em Química
Department: Físico-Química; Química
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17778
Citação:BEZERRA, Maria José Oliveira da Silva. Síntese e caracterização da ferrita de MnZn obtida pelo método dos citratos precursores. 2007. 114 f. Dissertação (Mestrado em Físico-Química; Química) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo Português:Foi sintetizada ferrita de MnZn com fórmula geral Mn1-xZnxFe2O4 (mol%) para 0,3 ≤ x ≤ 0,6 com uso do método dos citratos precursores. A decomposição dos precursores foi estudada por análise termogravimétrica (TGA), termogravimétrica diferencial (DTG), análise térmica derivada (DTA) e espectroscopia na região do infravermelho (FTIR) dos pós calcinados em 350°C/3,5h. Foram feitas difrações de raios X (DRX) entre 350 e 1200ºC/2h usando várias atmosferas. O pó calcinado a 350ºC/3,5h formou fase espinélio. É necessário o controle da atmosfera para evitar fases secundárias como a hematita. Em 900 e 1200ºC foram obtidos respectivamente, 90,7 e 100% de fase ferrita espinélio. Análises por espectroscopia de energia dispersiva (EDS) em 350ºC mostrou alta dispersão de Mn e Zn, indicando que o processo de difusão foi homogêneo. A análise semi-quantitativa por EDS verificou que apesar do controle da atmosfera durante a calcinação em altas temperaturas (> 800ºC), ocorreu vaporização de ZnO causando desvio estequiométrico. Medidas por magnetômetro de amostra vibrante (MAV) mostraram características de materiais magneticamente macios com Hc de 6,5 x 10-3 até 11,1 x 10-2 T. A magnetização de saturação e a permeabilidade inicial da fase espinélio de MnZn foi obtida entre 14,3 a 83,8 Am2/kg e 14,1 a 62,7 (Am2/kg)T, respectivamente
Resumo inglês:It was synthesized MnZn ferrite with general formulae Mn1-xZnxFe2O4 (mol%), 0,3 &#8804; x &#8804; 0,7 by using the citrate precursor method. The precursors decomposition was studied by thermogravimetric analysis (TGA), differential thermogravimetric analysis (DTG), differential thermal analysis (DTA) and Fourier transform infrared (FTIR) of powder calcined at 350ºC/3,5h. X-ray diffraction pattern (XRD) of samples was done from 350 to 1200ºC/2h using various atmospheres. The power calcined at 350ºC/3,5h formed spinel phase. It is necessary atmosphere control to avoid secondary phase such as hematite. From 900 to 1200ºC was obtained 90,66 and 100% of MnZn spinel ferrite phase, respectively. Analysis by dispersive energy scanning (EDS) at 350ºC shows high Mn and Zn dispersion, indicating that the diffusion process was homogeneous. Semi-quantitative analysis by EDS verified that despite the atmosphere control during calcinations at high temperatures (< 800ºC) occurred ZnO evaporation causing stoichiometric deviation. Vibrating sample magnetometer (VSM) measures show soft ferrite material characteristics with Hc from 6,5 x 10-3 to 11,1 x 10-2 T. Saturation magnetization (Ms) and initial permeability (µi) of MnZn spinel phase obtained, respectively, from 14,3 to 83,8 Am2/kg and 14,1 to 62,7 (Am2/kg)T