Escola e preconceito : relações raciais na ótica dos professores

The present study aims to examine racism in schools from the placement of teachers in front of their demonstration and assignments of responsibility for its occurrence. Structured into five chapters, the first, are addressed the definitions of prejudice, discrimination and racism, the influence of s...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Santos, Carina Feitosa dos lattes
Orientador/a: França, Dalila Xavier de lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5943
Citação:SANTOS, Carina Feitosa dos. Escola e preconceito : relações raciais na ótica dos professores. 2014. 135 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.
Resumo Português:O presente estudo tem por objetivo analisar o racismo nas escolas a partir do posicionamento dos professores diante de sua manifestação e atribuições de responsabilidade por sua ocorrência. Estruturado em cinco capítulos, no primeiro, são abordadas as definições de preconceito, discriminação e racismo, a influência das normas sociais que pode levar ao que tem sido denominado novos preconceitos e novos racismos além de alguns aspectos sobre como o racismo tem se caracterizado no Brasil desde a abolição até os dias atuais. No segundo capítulo, são apresentadas considerações acerca do reflexo dos construtos anteriormente abordados no ambiente escolar. Destaca-se o papel atribuído à escola e ao professor na propagação e combate ao preconceito e ao racismo além de ações afirmativas voltadas para esse propósito, a exemplo da Lei 10.639/03. A coleta de dados foi feita por meio de um questionário contendo questões abertas e fechadas, o qual foi aplicado a 69 professores da rede pública de ensino das cidades de Aracaju e Lagarto, Sergipe. Os dados foram submetidos a análises de frequência e análises multivariadas com auxílio dos softwares SPSS e IRAMUTEQ. Os resultados apontam para uma rejeição da temática pelos professores e uma tendência a reconhecer a influência do preconceito racial quando em referência ao contexto das escolas em geral, mas uma negação de sua existência ou influência no ambiente escolar onde atuam. Quanto a possíveis medidas com vistas à modificação do quadro de racismo verificado nas escolas, o discurso dos professores sugere, como uma medida a ser adotada, uma menor ênfase atribuída à cor da pele, posicionamento que parece se opor ao princípio que rege as ações afirmativas elaboradas para este fim. Sugere-se que os discursos apresentados pelos professores acerca do racismo nas escolas e as reações que a temática provoca sejam norteadoras da elaboração de ações efetivas de combate ao racismo nas escolas.
Resumo inglês:The present study aims to examine racism in schools from the placement of teachers in front of their demonstration and assignments of responsibility for its occurrence. Structured into five chapters, the first, are addressed the definitions of prejudice, discrimination and racism, the influence of social norms that can lead to what has been termed |new prejudices| and |new racism| plus some aspects about how racism has been characterized in Brazil since the abolition until the present day. In the second chapter, considerations about the reflection of the previously discussed constructs in the school environment are shown. We highlight the role assigned to the school and the teacher in the propagation and fight against prejudice and racism other than affirmative action geared to this purpose, as the 10.639/03 law. Data collection was done through the application of a questionnaire with open and closed questions, which was applied to 69 teachers of public schools in the cities of Aracaju and Lagarto, Sergipe. The data were subjected to analysis of frequency and multivariate analyses with the help of SPSS and IRAMUTEQ software. The results point to a rejection of the issue by the teachers and a tendency to recognize the influence of racial bias when in reference to the context of the schools in general, but a denial of its existence or influence in the school environment where they operate. About possible measures with the purpose of modifying the framework of racism in schools, teacher´s discourse suggests, as a measure to be adopted, a less emphasis given to skin color, positioning that seems to oppose the principle governing the affirmative actions designed for this purpose. It is suggested the use of discourse and of the reactions submitted by teachers about racism in schools in the development of effective actions to combat racism in schools.