Modernidade e desamparo: reflexões a partir da teoria freudiana do social

This work, as its title suggests, aims to discuss the relationship between modernity and helplessness, from the freudian theory of the social, that is, from the so-called sociological or anthropological texts that comprise the works of Freud. Initially, we will make a presentation about modernity, f...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Santos, Marcus Vinícius Oliveira lattes
Orientador/a: Coelho, Daniel Menezes
Format: Dissertação
Language:por
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5961
Resumo Português:Este trabalho, como o próprio título sugere, tem como escopo discutir as relações entre a modernidade e o desamparo, à luz da teoria freudiana do social, isto é, a partir dos chamados textos antropológicos ou sociológicos que compõem a obra freudiana. Inicialmente, faremos uma apresentação acerca da modernidade, a partir de diferentes perspectivas, e, ademais, formularemos uma breve descrição do que compreendemos como o ideário moderno, isto é, o conjunto dos principais pressupostos que definem a modernidade. Em seguida, discutiremos as relações estabelecidas entre a psicanálise, a modernidade e o modernismo, entendido como um movimento de crítica aos pressupostos modernos. Tentaremos, com efeito, problematizar o argumento segundo o qual haveria uma inflexão na leitura freudiana sobre a modernidade que produziria uma ruptura radical com o ideário moderno. Como queremos demonstrar, talvez fosse mais apropriado afirmar o caráter híbrido da teoria freudiana, na medida em que nela se misturam tendências antagônicas, indissociavelmente entrelaçadas. Doravante, investigaremos o estatuto do desamparo no discurso freudiano. O nosso ponto de partida é a discussão do desamparo no registro biológico, a partir do Projeto de 1895. Ademais, trataremos do desamparo no registro social, enfatizando como tal condição seria resultante da falência da tradição e das concepções pré-modernas, notadamente no que tange ao declínio de uma figura protetora. Nessa concepção, vale dizer, o desamparo seria estrutural e inerente à inscrição do sujeito na modernidade. Abordaremos também a questão dos destinos do desamparo. No cardápio dos procedimentos de regulação do mal-estar indicados por Freud, as ilusões aparecem como uma das possíveis alternativas, ou seja, como um dos caminhos para a busca da salvação. Buscaremos, por fim, evidenciar que as ilusões compõem não apenas o arcabouço das ideias religiosas, mas também enunciados característicos de outras formas de visão de mundo (Weltanschauung), com destaque para alguns sistemas filosóficos.
Resumo inglês:This work, as its title suggests, aims to discuss the relationship between modernity and helplessness, from the freudian theory of the social, that is, from the so-called sociological or anthropological texts that comprise the works of Freud. Initially, we will make a presentation about modernity, from different perspectives, and, moreover, we will formulate a brief description of what we understand as modern ideas, that is, the set of key assumptions that define modernity. After we discuss the relations between psychoanalysis, modernity and modernism, understood as a movement of criticism of modern assumptions. We will try, indeed, to question the argument for which there would be a shift in the freudian reading of modernity that produces a radical break with the modern ideas. As we want to demonstrate, perhaps it might be more appropriate to state the hybrid character of the freudian theory, according that it combine antagonistic tendencies, inextricably intertwined. Henceforth, we will investigate the statute of helplessness in freudian discourse. Our starting point is the discussion of helplessness in the biological registry from the Project of 1895. Moreover, we will consider the helplessness in the social registry, emphasizing how this condition would be consequent of the collapse of tradition and pre-modern conceptions, notably regarding the decline of a protective figure. In this conception, the helplessness would be structural and inherent to the inclusion of the subject in modernity. We will also explore the question of the destinies of helplessness. On the menu of the procedures to regulating the malaise indicated by Freud, the illusions appear as one of the possible alternatives, that is, as one of the ways to search for salvation. We will seek, finally, to show that the illusions comprise not only the framework of religious ideas, but also statements characteristics of other forms of worldview (Weltanschauung), highlighting some philosophical systems.