Emprego de turfa e resíduo de angico branco (Anadenanthera colubrina) na remediação de btex em água produzida

Petroleum exploration, an activity that generates economic benefits, can also bring environmental impacts, one of which associated with large quantities of produced water discharged into aquatic environments. A particular concern is that these discharges contain significant amount toxic compounds in...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Costa, André Silveira lattes
Orientador/a: Romão, Luciane Pimenta Cruz lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Química
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/6157
Resumo Português:A exploração de petróleo, uma atividade que gera desenvolvimento econômico, traz consigo uma parcela de agressão ao meio ambiente. Um exemplo disso é o volume de água produzida descartado diariamente em ambientes aquáticos. Esse descarte se torna preocupante devido à presença de inúmeros compostos tóxicos, dentre eles Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno e isômeros de Xilenos. Uma solução para minimizar esses efeitos seria tratá-la antes do descarte. No presente trabalho foi avaliado o potencial de adsorção em batelada utilizando turfa e serragem de angico como adsorventes na remoção de BTEX em água produzida. A amostra de água produzida foi coletada na cidade de Carmópolis/SE. A capacidade de remoção da turfa foi de 32,4, 50,0, 63,0, 67,8 e 61,8% para Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno, m,p-Xileno e o-Xileno, respectivamente. Quando comparada com a serragem de angico, para o qual foi determinado uma remoção de 20,2, 36,4, 52,8, 57,8 e 53,7% para Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno, m,p-Xileno e o-Xileno, respectivamente, ficou evidenciado uma maior capacidade de remoção da turfa. A identificação e quantificação dos BTEX foram feitas por cromatografia gasosa. A otimização e validação do método cromatográfico apresenta bons resultados, com exatidão acima de 90%, precisão abaixo de 6%, linearidade com coeficiente de determinação (r2) acima de 0,998, limite de detecção entre 0,09 - 0,18 μg L-1 e limite de quantificação entre 0,27 - 0,35 μg L-1. Este trabalho demonstrou alto potencial de materiais alternativos na remoção de compostos orgânicos em meio aquoso.
Resumo inglês:Petroleum exploration, an activity that generates economic benefits, can also bring environmental impacts, one of which associated with large quantities of produced water discharged into aquatic environments. A particular concern is that these discharges contain significant amount toxic compounds including benzene, toluene, ethylbenzene and isomers of xylene (BTEX). One option to be employed to minimize the concentrations of these compounds entering the environment is to treat the water prior to discharge. The present work therefore investigates the potential of peat and angico sawdust to remove BTEX from produced water. Samples of produced water was collected from the Bonsucesso treatment station, operated by Petrobras in of Carmópolis City, Brazil. In batch experiments, the removal capacity of the peat was 32.4, 50.0, 63.0, 67.8 and 61.8% for benzene, toluene, ethylbenzene, m,p-xylene and oxylene, respectively. Comparing with removal capacities of angico sawdust of 20.2, 36.4, 52.8, 57.8 and 53.7% for these compounds, respectively, peat has show a superior performance of removal. Identification and quantification of BTEX was done by gas chromatography. After optimization, accuracy exceeding 90 %, precision better than 6 %, linear determination coefficient (r2) of 0.998, and limits of detection and quantification of 0.09-0.18 μg L-1 and 0.27-0.35 μg L-1, respectively. This work has demonstrated considerable potential of alternative materials for efficient removal of organic compounds from aqueous media.