Sexo e religião : um estudo sobre práticas sexuais pré-maritais entre jovens evangélicos

The objective of this study was, in general, to investigate the relationship between religiosity and sexuality in young people from evangelical churches. Trying to understand, therefore, that there may be some kind of crisis by religious belonging, which plays a belief in preventing sexual practices...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Meneses, André Filipe Silva lattes
Orientador/a: Santos, Elder Cerqueira lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5979
Citação:MENESES, André Filipe Silva. Sexo e religião : um estudo sobre práticas sexuais pré-maritais entre jovens evangélicos. 2015. 86 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Resumo Português:O objetivo deste estudo foi, de forma geral, investigar a relação entre religiosidade e sexualidade em jovens pertencentes a igrejas evangélicas. Procurando entender, assim, a possível existência de algum tipo de crise pelo pertencimento religioso, que reproduz uma crença no impedimento de práticas sexuais antes do casamento, e a manutenção da atividade sexual, comportamento que fere tal crença, e de que forma essa possível crise é superada. A pesquisa quantitativa, um questionário online, foi realizada através de grupos em redes sociais e por e-mail, a fim de coletar dados bio-psico-socio-demográficos, informações concernentes ao seu pertencimento religioso, considerações sobre a sexualidade, se existe crise, e as formas de resolução desta. Participaram do estudo 184 jovens pertencentes a igrejas evangélicas, com idades entre 14 e 24 anos, sendo 75,5% do sexo feminino e 24,5% do sexo masculino. Foi utilizado um instrumento de 29 questões, autoaplicado e confidencial. Foram utilizadas escalas que tratam sobre Coping Religioso, Bem-Estar Sexual, Religiosidade, Resolução da Crise, entre outras medições. Os resultados indicam que a religiosidade se mostrou um fator protetivo para o atraso do início da vida sexual, com grande aparição, em contraponto, de jovens evangélicos solteiros que relataram manter uma vida sexual ativa e um convívio religioso. Jovens que se relacionaram sexualmente antes do casamento demonstraram menores índices de religiosidade e maiores índices de bem-estar sexual. Os dados sugerem que o início da vida sexual está fortemente relacionado a um melhor entendimento da própria sexualidade, como algo natural e possível, pela readequação da crença religiosa de que esta deve se manifestar somente após o casamento.
Resumo inglês:The objective of this study was, in general, to investigate the relationship between religiosity and sexuality in young people from evangelical churches. Trying to understand, therefore, that there may be some kind of crisis by religious belonging, which plays a belief in preventing sexual practices before marriage, and the maintenance of sexual activity, behavior that hurts this belief, and how this potential crisis It is overcome. Quantitative research, an online survey was conducted through groups on social networks and e-mail in order to collect bio-psycho-socio-demographic data, information concerning their religious belonging, considerations about sexuality, if there is crisis and the ways of solving this. The study included 184 young people from evangelical churches, aged between 14 and 24 years, 75.5% female and 24.5% male. A tool of 29 questions, self-administered, confidential was used. Scales were used to treat on Coping Religious, Sexual Wellness, Religiosity, Crisis resolution, among other measurements. The results indicate that religiosity proved to be a protective factor in the delay of sexual debut, with great appearance, in contrast, unmarried young evangelicals who reported being sexually active and religious coexistence. Young people were related sexually before marriage showed lower levels of religiosity and greater sexual health indices. The data suggest that the onset of sexual activity is strongly related to a better understanding of their own sexuality, as something natural and possible for the readjustment of religious belief that it should be manifested only after the marriage.