"O que nós quer é ocupar todos os espaços" : a participação sociopolítica do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em conselhos gestores

This study aimed to analyze the social and political participation of the Movement of Landless Rural Workers (MST) in management councils of the city of Our Lady of Glory, ie examine whether the practice corresponded (or not) to a new political strategy and an identity redefinition of MST members of...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Jesus, Cláudia Kathyuscia Bispo de lattes
Orientador/a: Ennes, Marcelo Alario lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Sociologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/6259
Citação:JESUS, Cláudia Kathyuscia Bispo de. "O que nós quer é ocupar todos os espaços" : a participação sociopolítica do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em conselhos gestores. 2015. 133 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Resumo Português:Este trabalho se propôs a analisar a participação sociopolítica do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em conselhos gestores do município de Nossa Senhora da Glória, isto é, examinar se essa prática correspondeu (ou não) a uma nova estratégia política, bem como uma redefinição identitária dos integrantes do MST. Foram abordados como temas teóricos: movimentos sociais; participação; conselhos gestores e processos identitários. Ademais, fizemos uso da categoria analítica Campo político desenvolvido por Pierre Bourdieu no aporte teórico- metodológico. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada através da observação direta, de entrevistas semi estruturadas e pesquisa documental que possibilitou a construção do corpus empírico, em que podemos destacar alguns resultados: i) participação de militantes políticos em conselhos gestores; ii) concepção e formas de participação para o MST; iii) os dilemas do MST diante da participação em conselhos gestores. Concluimos que a inserção participativa do MST em conselhos gestores significa uma redefinição identitária dos integrantes do movimento que, por sua vez, estão alterando a dinâmica interna tanto dos conselhos quanto a do próprio movimento no que se refere à sua atuação política. Essa participação sociopolítica do MST é uma tentativa de garantia de permanência e de luta por melhores condições de vida nos assentamentos rurais.
Resumo inglês:This study aimed to analyze the social and political participation of the Movement of Landless Rural Workers (MST) in management councils of the city of Our Lady of Glory, ie examine whether the practice corresponded (or not) to a new political strategy and an identity redefinition of MST members of the movement. We examined the theoretical issues: social movements; participation; management councils and identity processes. In addition, we used the analytical category political field developed by Pierre Bourdieu in theoretical-methodological contribution. This is a qualitative research, carried out through direct observation, semi-structured interviews and documentary research that enabled the construction of empirical corpus, in which we can highlight some results: i) participation of political activists in management councils; ii) design and forms of participation for the MST; iii) MST dilemmas on participation in management councils. It follows that participatory MST insertion in management councils means an identity redefinition of movement members who in turn are changing the internal dynamics of both counsel on the movement itself as regards its political action. This socio-political participation of the MST is an attempt to stay assurance and fight for better living conditions in rural settlements.