Diversidade sexual e homofobia na escola : as representações sociais de educadores/as da educação básica

The representations that educators have about the homophobic practices influence the construction or deconstruction of prejudices and discriminatory attitudes that are manifested in schools and end up causing many other types of violence throughout society. Thus, silencing and/or denial of multiple...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Souza, Elaine de Jesus lattes
Orientador/a: Silva, Joilson Pereira da lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5954
Citação:SOUZA, Elaine de Jesus. Diversidade sexual e homofobia na escola : as representações sociais de educadores/as da educação básica. 2015. 241 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Resumo Português:As representações que educadores/as possuem acerca das práticas homofóbicas influenciam a (des)construção de atitudes preconceituosas e discriminatórias que são manifestadas na instituição escolar e acabam ocasionando diversos outros tipos de violências em toda a sociedade. Dessa forma, o silenciamento e/ou a negação das múltiplas orientações afetivo-sexuais que permeiam a escola contribuem para o enaltecimento dos preconceitos. Todavia, é inegável que, na maioria dos casos, os/as docentes acabam se omitindo, ao invés de adotarem posicionamentos contrários a tais violências, devido à carência desses temas na formação docente e as normatizações socioculturais e religiosas que delimitam suas representações sociais. Assim, o principal objetivo dessa pesquisa qualitativa foi analisar as representações sociais de educadores/as acerca da diversidade sexual e da homofobia, visando compreender de que forma tais representações podem influenciar e/ou contribuir para a (des)construção de preconceitos e discriminações que perpassam o ambiente escolar. Por conseguinte, empregou-se o método de análise de conteúdo categorial temática e foi elaborado um instrumento constituído por entrevistas e questionários semiestruturados respondidos por 17 docentes de duas escolas da educação básica de um município de Sergipe. Os resultados obtidos evidenciaram que as representações sociais da maioria dos/as educadores/as são pautadas em inúmeras dúvidas e contradições acerca das temáticas diversidade sexual e homofobia devido ao desconhecimento em decorrência da carência desses temas na formação inicial e continuada, e a outras questões que impedem a busca de (in)formação, tais como as convenções religiosas, contribuindo com a manutenção dos preconceitos sutis e manifestos inseridos nas práticas homofóbicas que permeiam o espaço escolar. Bem como, a maioria dos/as docentes relatou situações de preconceitos e discriminações ocorridas na escola, tais como piadinhas, apelidos pejorativos, exclusões, ameaças, que compõem a homofobia indireta. Assim, comportamentos diferentes do padrão heteronormativo geram violências contra indivíduos que são ridicularizados, marginalizados e julgados no próprio ambiente escolar (e na sociedade de modo geral). Portanto, ao desvelar as representações sociais (concepções e vivências) de educadores/as acerca da diversidade sexual e homofobia, alerta-se para a necessidade de (in)formações precisas e atualizadas acerca de tais temas. Para que os/as docentes possam questionar os padrões heteronormativos, compreender, reconhecer e aceitar as identidades sexuais e de gênero, desconstruindo preconceitos e acolhendo efetivamente essa diversidade de indivíduos que integra a escola.
Resumo inglês:The representations that educators have about the homophobic practices influence the construction or deconstruction of prejudices and discriminatory attitudes that are manifested in schools and end up causing many other types of violence throughout society. Thus, silencing and/or denial of multiple affective and sexual orientations that pervade the school contribute to the enhancement of prejudices. However, it is undeniable that, in most cases, teachers end up leaving out, rather than to adopt positions contrary to such violence, due to the lack of these issues in teacher education and the socio-cultural and religious norms that define their social representations. Thus, the main objective of this qualitative study was to analyze the social representations of educators about sexual diversity and homophobia, aiming to understand how such representations can influence and/or contribute to the construction or deconstruction of prejudice and discrimination that permeate the school environment. Therefore, we used the method of thematic categorical content and an instrument consisting of semi-structured interviews and questionnaires answered by 17 teachers from two schools in the basic education of a city of Sergipe was prepared. The results showed that social representations of most educators are guided by numerous doubts and contradictions about the thematic sexual diversity and homophobia because of ignorance due to the lack of these themes in the initial and continuing education, and other issues that impede the search for information and training, such as religious conventions, contributing to the maintenance of subtle and overt prejudices embedded in homophobic practices that permeate the school environment. And, most teachers reported situations of prejudice and discrimination that occurred at school, such as jokes, derogatory nicknames, exclusions, threats that make up the indirect homophobia. Thus, different behaviors of heteronormative pattern generate violence against individuals who are ridiculed, marginalized and judged within the school environment (and society in general). Therefore, to reveal the social representations (conceptions and experiences) educators about sexual diversity and homophobia, alert to the need for information and accurate and up to date on such issues formations. For teachers may question the heteronormative standards, understand, acknowledge and accept sexual and gender identities, deconstructing prejudice and effectively embracing this diversity of individuals that integrates school.