Condições de acesso e permanência das mulheres no movimento sindical

This study is an analysis of the conditions of access and permanence of women in the trade union movement. The issue is framed in the discussions on the political participation of women and the cut is the trade union movement. Considering that the political and trade union fields have traditionally...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Santos, Verônica de Barros
Orientador/a: Oliveira, Wilson José Ferreira de
Format: Dissertação
Language:por
Programa: Pós-Graduação em Sociologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/9250
Citação:SANTOS, Verônica de Barros. Condições de acesso e permanência das mulheres no movimento sindical. 2018. 128 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia)–Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.
Resumo Português:Este estudo é uma análise das condições de acesso e permanência das mulheres no movimento sindical. A temática está enquadrada nas discussões sobre a participação política das mulheres e o recorte é o movimento sindical. Considerando que os campos político e sindical foram tradicionalmente dominados pelos homens, e considerando a crescente participação de mulheres, objetivamos investigar os condicionantes da inserção delas nesses espaços. Para tanto, selecionamos como realidade a ser observada a categoria dos Técnico-Administrativos em Educação - TAE, formada pelos profissionais que compõem a esfera administrativa das instituições de ensino superior público brasileiro. Os quadros de representação, antes compostos predominantemente por homens, aos poucos sofreram modificações com a presença das mulheres. Em razão dessas mudanças, propomos pensar os mecanismos que as justificam e enquadramos a análise sob duas perspectivas. Na primeira, situamos a categoria dos TAE frente à instituição que a representa nacionalmente, a Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil - FASUBRA Sindical. Nesse aspecto, analisamos a composição da direção nacional e das direções/coordenações dos sindicatos filiados, levando em consideração os percentuais e os lugares ocupados por homens e mulheres. Na segunda, selecionamos um dos sindicatos filiados, o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação da Universidade Federal de Sergipe – SINTUFS. Buscamos apreender as condições de acesso e permanência das mulheres com o enfoque nos aspectos relacionais em torno do engajamento das militantes. O estudo foi norteado a partir da sociologia da militância e da abordagem de gênero, e os principais conceitos e as noções empregados foram: trajetórias, carreiras, divisão sexual do trabalho, engajamento militante e vínculos sociais. Utilizamos diferentes estratégias metodológicas, tais como, a consulta a documentos, a aplicação de questionário, a observação participante e a entrevista biográfica. Identificamos a presença de muitas mulheres nas direções/coordenações das instituições de base da FASUBRA. Contudo, também foi observado diferenças em relação aos lugares ocupados por homens e por mulheres. Os vínculos sociais e algumas experiências encontradas nos itinerários das mulheres emergiram como mecanismo que servem para explicar a entrada e a permanência delas na liderança sindical. Entre os tipos de vínculos, os pessoais tiveram maior relevância, e as experiências educacionais foram os recursos mais significativos para o engajamento. Constatamos que, de modo geral, o aumento de mulheres no movimento sindical está associado à participação delas no mercado de trabalho e às transformações culturais e sociais que envolvem o papel da mulher na sociedade. As sindicalistas justificaram que, a conscientização da necessidade de ocupação dos espaços políticos pelas mulheres e, principalmente, o compromisso com a classe trabalhadora foram os motivos do seu engajamento militante.
Resumo inglês:This study is an analysis of the conditions of access and permanence of women in the trade union movement. The issue is framed in the discussions on the political participation of women and the cut is the trade union movement. Considering that the political and trade union fields have traditionally been dominated by men, and considering the increasing participation of women, we aim to investigate the constraints of their insertion in these spaces. To that end, we selected as a reality to be observed the category of Technical-Administrative in Education - TAE, formed by professionals that make up the administrative sphere of Brazilian public higher education institutions. The representation tables, previously composed predominantly by men, gradually changed with the presence of women. Because of these changes, we propose to think the mechanisms that justify them and frame the analysis from two perspectives. In the first, we place the category of TAE in front of the institution that represents it nationally, the Federation of Trade Unions of Technical-Administrative Workers in Public Higher Education Institutions of Brazil - FASUBRA Sindical. In this regard, we analyze the composition of the national leadership and the directorates/coordinations of the affiliated unions, taking into account the percentages and places occupied by men and women. In the second, we selected one of the affiliated unions, the Syndicate of Technical-Administrative Workers in Education of the Federal University of Sergipe - SINTUFS. We seek to understand the conditions of access and permanence of women with the focus on the relational aspects around the engagement of the militants. The study was guided by the sociology of militancy and the gender approach, and the main concepts and notions employed were: trajectories, careers, sexual division of labor, militant engagement and social bonds. We use different methodological strategies, such as document consultation, questionnaire application, participant observation and biographical interview. We have identified the presence of many women in the directorates/coordinations of FASUBRA's basic institutions. However, differences were also observed in the number of places occupied by men and women. The social ties and some experiences found in women's itineraries have emerged as a mechanism to explain their entry and stay in union leadership. Among the types of links, the personalities were more relevant, and educational experiences were the most significant resources for engagement. We find that, in general, the increase of women in the trade union movement is associated with their participation in the labor market and the cultural and social transformations that affect the role of women in society. The unionists justified that the awareness of the need to occupy political spaces by women and, especially, the commitment to the working class were the reasons for their militant engagement.