O fenômeno da despersonalização e suas relaões com a infra-humanização e o preconceito

This paper approaches an insufficiently researched phenomenon in Social Psychology, depersonalization , which refers to the concept that there are humans who don´t trigger interest to the other , which are considered |non- individuals| as not equipped with a particular psychological dimension , maki...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Teixeira, Floricelia Santana lattes
Orientador/a: Lima, Marcus Eugênio Oliveira lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5917
Citação:TEIXEIRA, Floricelia Santana. O fenômeno da despersonalização e suas relaões com a infra-humanização e o preconceito. 2014. 150 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.
Resumo Português:Este trabalho aborda um fenômeno pouco estudado na Psicologia Social, a despersonalização, que refere-se a concepção de que há seres humanos que não despertam interesse ao outro, que são considerados como não indivíduos , como não dotados de uma dimensão psicológica particular, tornando-os invisíveis aos olhos do mundo. Este trabalho parte da hipótese de que por meio de tarefas de formação de impressão, com o auxilio do Implicit Association Test (IAT), podemos obter a velocidade da resposta em milésimos de segundo durante a avaliação de um alvo e assim sugerir que quando o respondente associa um conceito a um atributo mais rapidamente, demonstra uma maior facilidade e sentido nesta relação. O processo de formação de impressão torna-se mais detalhado e complexo, quando há mais dispêndio de atenção e tempo em avaliar o alvo, ocorrendo a personalização do alvo. Nesse sentido, o tempo é compreendido como o principal indicador de personalização ou despersonalização. O objetivo do nosso estudo I foi apurar a despersonalização e as suas relações com a infra- humanização, o preconceito implícito, o preconceito explícito por meio de tarefas de formação de impressões com auxílio do programa IAT. Já no segundo estudo nos interessamos pela análise do impacto da discriminação racial no acesso à saúde, investigando o fenômeno da despersonalização como desencadeador dos erros de diagnóstico contra pacientes negros, encaminhados pelo SUS ou por convênios particulares, no atendimento médico. Os resultados do estudo I indicaram que há correlações significativas entre a despersonalização e a infra-humanização, r (49) = .32, p= .024, ou seja, o individuo que é despersonalizado também é infra-humanizado. A despersonalização não manteve correlações com o preconceito implícito, r(49) = .-12, p= .40, nem com o preconceito explicito r(49) = .07, p= .65. Não confirmamos nossas hipóteses principais do estudo II. No entanto, mesmo que estatisticamente não significativo, encontramos valores médios que demonstraram uma análise mais cuidadosa para a avaliação diagnóstica aos pacientes brancos de convênio Particular. Como em relação ao índice de erros de diagnóstico, das quatro patologias descritas pelos pacientes nos vídeos, os respondentes erraram menos para os pacientes brancos, independente de serem usuários do SUS ou possuintes de convênios particulares. Concluímos a presença do preconceito implícito em ambos os estudos, confirmando que estereótipos negativos ainda atuam, mesmo que de maneira inconsciente sobre as atitudes dos indivíduos, e por mais que eles não percebam conscientemente produzem ações de infra-humanização e despersonalizadas contra os negros.
Resumo inglês:This paper approaches an insufficiently researched phenomenon in Social Psychology, depersonalization , which refers to the concept that there are humans who don´t trigger interest to the other , which are considered |non- individuals| as not equipped with a particular psychological dimension , making them invisible to the world . This paper starts from the hypothesis that through training tasks of impression, with the help of the Implicit Association Test ( IAT ) , we can obtain the speed of response in milliseconds during the evaluation of a target and thus suggest that when the respondent associates a concept with an attribute faster , easier and demonstrates a sense in this regard . The process of impression formation becomes more detailed and complex when more expenditure of time and attention in evaluating the target, occurring the target personalization. In this term, time is understood as the main indicator of personalization or depersonalization. The aim of our study I was to establish depersonalization and its relations with the infra - humanization, implicit prejudice , explicit prejudice through impression formation tasks with the aid of the IAT program. In the second study we are interested in the analysis of the impact of racial discrimination in access to health care, investigating the phenomenon of depersonalization as a trigger of misdiagnosis against black patients referred by the NHS or privately insured patients in medical care . Outcome of the study indicated that there were significant correlations between depersonalization and infra-humanization, r (49) = .32, p = .024 , in other words the individual who is depersonalized is infra-humanized as well . The depersonalization has not kept correlations with implicit prejudice, r (49 ) = . -12, P = .40, nor the explicit prejudice (49) = .07 , p = .65 . We don´t confirm our main hypotheses of the study II. However, even though it isn´t statistically significant, we found that mean values showed a more carefully analysis of the diagnostic evaluation to white patients of private agreement. As compared to the rate of misdiagnosis, the four conditions described by the patients in the videos, respondents erred least for white patients , regardless of being the SUS users or privately insured . We conclude the presence of implicit prejudice in both studies , confirming that negative stereotypes are still active , even if unconsciously on the attitudes of individuals so , and more that they don´t consciously perceive actions produce infra- humanization and depersonalized against blacks.