Política pública de assistência social em análise : história, valores e práticas

This paper intends to put under analysis, through the psychoanalytical method, the work of a psychologist who becomes here a researcher on social service s politics, whose job is to execute social-educational measures without liberty restraints. We initiate from this experience and from a set of que...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Souza, Carolina Rodrigues Alves de lattes
Orientador/a: Coelho, Daniel Menezes lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5996
Resumo Português:O presente trabalho pretende colocar em análise, sob o viés do método psicanalítico, o trabalho executado por uma psicóloga esta que aqui se torna a pesquisadora na política pública de assistência social e cujo serviço está direcionado para a execução de medidas socioeducativas em meio aberto. Partimos dessa experiência de trabalho e de questionamentos que foram sendo formulados a respeito dele e, principalmente, acerca da experiência de ser um psicólogo e/ou trabalhador social neste espaço. Lançamos, neste intuito, nosso olhar sobre ideais compartilhados e historicamente condicionados que, por seu caráter, operam ali suas práticas e impõem seus valores. Para isso, contamos com o aporte teórico e metodológico da psicanálise e assim o confirmamos enquanto ferramenta de escuta de espaços institucionais, da política, e da história. Conforme o campo que nos dá lugar e os elementos que ele nos dispôs, fazemos algumas análises sobre os lugares ocupados pela família e pela infância e sobre o valor moderno a eles atrelado, o da educação, onde atravessam também os sentidos de pobreza, trabalho e responsabilidade. Adiante, no mesmo propósito, discutimos sobre imputabilidade e culpa e desaguamos finalmente na pergunta: há, ali, alguma possibilidade de transgressão, ou seja, do rompimento de um sistema normativo dado? O que queremos, portanto, é colocar para o leitor os elementos que encontramos em nossa experiência a fim de se constituam em instrumentos de transformação e reconfiguração tanto de nossa prática quanto de outras que nela encontrem semelhança e identificação.
Resumo inglês:This paper intends to put under analysis, through the psychoanalytical method, the work of a psychologist who becomes here a researcher on social service s politics, whose job is to execute social-educational measures without liberty restraints. We initiate from this experience and from a set of questions asked about it and, especially, about being a psychologist and/or a social worker on that space. On this purpose, we look over shared and historically conditioned ideals that, due to their attributes, operate their practices and impose their values on that field. For that, we use the theoretical and methodological contribution of psychoanalysis, and therefore we confirm it as a tool of listening institutional spaces, politics and history. According with the field that set us place and with the elements it gives us, we make a few analysis about the positions occupied by the family and by the childhood and about the modern value associated to them, the one of education, where permeate also the senses of poverty, work and responsibility. Ahead on the same purpose, we discuss about imputability and guilt and then we finally get to the question: is there any possibility of transgression, in other words, of breaking a given normative system? What we want, therefore, is to dispose to our reader the elements found on our experience in order to constitute them into instruments of transformation and reconfiguration of both our practice and others which find in them resemblance and identification.