Um diálogo entre Freud e Lacan fundamentado no caso "o pequeno Hans"

This work has dealt with the clinical Little Hans case - statement by Freud in 1909 - and aims to bring the dialogue between this theoretical and Jacques Lacan, with prints and case analysis. Specifically, the study aims to provide for the issue of child psychoanalysis and addressing the problem of...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Bonfim, Leilane Gabriela de Souza lattes
Orientador/a: Henriques, Rogério da Silva Paes lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Sergipe
Programa: Pós-Graduação em Psicologia Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://ri.ufs.br/handle/riufs/5988
Citação:BONFIM, Leilane Gabriela de Souza. Um diálogo entre Freud e Lacan fundamentado no caso "o pequeno Hans". 2015. 120 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Resumo Português:Este trabalho tem por tema o caso clínico do pequeno Hans comunicado por Freud em 1909 e almeja trazer o diálogo entre esse teórico e Jacques Lacan, com as impressões e análises do caso. Especificamente, o estudo objetiva dispor sobre a questão da criança para psicanálise e abordar a problemática da fobia enquanto saída sintomática. Considerando a clínica com criança como prática contemporânea à psicanálise, realizou-se um estudo teórico, cuja dinâmica metodológica foi a pesquisa bibliográfica, utilizando-se, sobretudo, de textos de Freud e de Lacan. Por conseguinte, o trabalho se encontra estruturado em três capítulos. O primeiro traz a questão da criança para psicanálise, destacando como ela alcança o lugar de sujeito de desejo e de direito, tornando-se, portanto possível de ser analisada. Além disso, por fundamentar o capítulo seguinte, neste primeiro são trazidas algumas posições e funções assumidas pela criança na dinâmica familiar. No segundo capítulo, é desenvolvido o diálogo entre Freud e Lacan acerca do caso Hans, apresentando os fatos que acompanham o caso, a cronologia, os direcionamentos de Freud e as considerações de Lacan. São tratados alguns assuntos como a relação entre Hans e sua mãe, a questão da função paterna, assim como os complexos de Édipo e de castração em Hans. Por fim, o terceiro capítulo traz a fobia como saída sintomática, servindo a Hans como o meio possível para que ele se posicione no mundo e insira-se na ordem simbólica. Assim, são trabalhados temas que tangem à fobia, como a ansiedade, a angústia, a formação sintomática e suas perspectivas e no caso clínico específico, a aposta na função de suplência assumida pelo sintoma fóbico, diante da função paterna claudicante. Concluímos o trabalho apontando alguns direcionamentos para a relação existente entre a clínica infantil atual e o sintoma.
Resumo inglês:This work has dealt with the clinical Little Hans case - statement by Freud in 1909 - and aims to bring the dialogue between this theoretical and Jacques Lacan, with prints and case analysis. Specifically, the study aims to provide for the issue of child psychoanalysis and addressing the problem of phobia while symptomatic output. Considering the clinic with children as contemporary practice of psychoanalysis, there was a theoretical study, whose methodological dynamics was the literature, using mainly from Freud´s texts and Lacan. Therefore, the work is divided into three sections. The first brings the issue of child psychoanalysis, highlighting as it reaches the place of subject of desire and law, making it therefore possible to be analyzed. In addition, support for the next chapter in this first are brought some positions and functions assumed by the child in the family dynamics. The second chapter develops the dialogue between Freud and Lacan about Hans case, presenting the facts following the case, the chronology, the directions of Freud and Lacan considerations. Are treated some issues such as the relationship between Hans and his mother, the question of the paternal function, as well as the complex of Oedipus and castration in Hans. Finally, the third chapter is the phobia as symptomatic output, serving Hans as the means possible so that it is positioned in the world and enter in the symbolic order. Thus, issues are worked that concern the phobia, such as anxiety, anguish, symptomatic formation and its prospects and the specific clinical case, the focus on substitutive function assumed by the phobic symptom on the limping paternal function. We conclude the work by pointing out some directions for the relationship between the current children´s clinic and the symptom.