O socialismo de século XXI na América Latina e a superação do capitalismo

Esta dissertação refere-se ao projeto sócio-político-econômico denominado socialismo do século XXI. Esta concepção de sociedade tem por base a construção da democracia participativa e direta em substituição à democracia formal-plutocrática. O objetivo geral desta pesquisa consistiu em estudar as con...

Access Level:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Coimbra, Eric Araújo Dias
Advisor: Franciotti, Marco Antonio
Co-advisor: Ouriques, Nildo Domingos
Format: masterThesis
Language:por
Published: Florianópolis, SC
Online Access:http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/92433
Portuguese Abstract:Esta dissertação refere-se ao projeto sócio-político-econômico denominado socialismo do século XXI. Esta concepção de sociedade tem por base a construção da democracia participativa e direta em substituição à democracia formal-plutocrática. O objetivo geral desta pesquisa consistiu em estudar as condições para a implementação do socialismo do século XXI na América Latina, visando a necessidade de superação do modelo capitalista global. Os objetivos específicos foram: 1) analisar as contradições do modelo capitalista global e a viabilidade histórica para a implementação do Socialismo do Século XXI; 2) estudar o conceito de democracia e suas aplicações, diferenciando a democracia formal (plutocracia) da democracia participativa; 3) analisar as principais transformações geopolíticas que estão ocorrendo na América Latina neste início de século XXI e a possibilidade de integração e libertação dos povos latino-americanos. Para uma melhor sistematização, o trabalho está dividido em cinco capítulos que compreendem os seguintes assuntos: 1) a democracia formal; 2) a democracia participativa; 3) a transição para o socialismo do século XXI; 4) a América Latina e o socialismo do século XXI; 5) as experiências institucionais na Venezuela, Bolívia e Equador. Neste último, são analisadas as experiências políticas concretas dos governos de Hugo Chávez (Revolução Bolivariana), Evo Morales (Revolução Democrática e Cultural) e Rafael Correa (Revolução Cidadã). Estes três governos se comprometeram em construir a democracia participativa e realizar profundas reformas de cunho nacionalista, antineoliberal e antiimperialista.