Sistema integrado de gestão de qualidade, meio ambiente e saúde e segurança no trabalho: um modelo para a pequena empresa

Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2003
Main Author: Idrogo, Aurelia Altemira Acuña
Orientador/a: Paladini, Edson P. (Edson Pacheco)
Format: Tese
Language:por
Published: Florianópolis, SC
Online Access:http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/85764
Resumo Português:Esta pesquisa teve por objetivo o desenvolvimento e validação de um modelo de gestão, contemplando a integração dos sistemas de gestão da qualidade, ambiental e saúde e segurança do trabalho apropriado para as pequenas empresas. Os benefícios advindos da integração de sistemas fizeram evoluir consideravelmente os modelos de gestão na administração de empresa e mais recentemente na gestão da produção. Com o advento da globalização tornou-se uma necessidade inadiável ganhos de produtividade e melhoria da qualidade. Um caminho para obtê-los é gerenciar as empresas através de processos, fazer downsizing, adotar princípios de qualidade e até a certificação em um ou mais sistemas. Entretanto, a gerência nas pequenas empresas é única, centrada no seu proprietário e este deve desenvolver inúmeras funções, fato que dificulta dispor de uma visão sistêmica. Devido a essa situação, o gestor se inclina por atividades mais diretamente ligadas ao produto, às finanças e ao mercado. Assim, deixa de investir em questões que dão suporte ao alcance de ganhos não imediatos como é o caso do meio ambiente e da segurança de seus trabalhadores. O modelo conceitual utilizado nesta pesquisa considera que há uma significativa interação entre os sistemas da qualidade, ambiental e SST. A sinergia desses sistemas poderia superar o seu atual uso ao substituí-lo por suas interfaces. Desse modo, uma análise rigorosa dos conteúdos dos modelos da NBRISO 9001:2000, NBRISO 14001:1996 e do Guia de Diretrizes BS 8800:1996 em nível de suas seções, subseções, parágrafos, alíneas e anexos, utilizando os critérios de similaridade, complementaridade, congruência e correlação foram identificados os denominados elementos de interface. Por sua vez estes se tornaram as variáveis da pesquisa e com as quais foi construído o modelo Sistema Integrado de Gestão que se compõe de três áreas de trabalho, seis etapas, dezessete fases e inúmeras ações. A validação do modelo foi realizada junto a 100% das pequenas empresas de curtume existentes na Paraíba na época da pesquisa. Com a implementação de um modelo validado - Sistema Integrado de Gestão - se beneficiarão as empresas e suas partes interessadas toda vez que os funcionários receberem educação e treinamento e cujos conhecimentos serão utilizados para cumprir sua função de forma mais inteligível com a conseqüente satisfação. A empresa criará competência ao harmonizar o entendimento do negócio e dos subsistemas que mais influenciarão no seu desempenho. Espera-se que depois da implementação do modelo o modus operandi da empresa mude substancialmente para melhor atender seus clientes e a sociedade ao redor e, em decorrência, aquinhoar ganhos na qualidade percebida de seus produtos, confiabilidade na marca e imagem respeitável. Conclui-se que as pequenas empresas ao integrar a atividade de curtume ao de manufatura, notadamente, de EPI ganharam pujança. Entretanto, falta sensibilidade aos empresários no que se refere a reduzir a poluição decorrente da atividade de curtume e atender as normas regulamentadoras em SST. Esta situação minora a pequena empresa como geradora de empregos, no papel social na redução dos desequilíbrios regionais, na melhoria da distribuição de renda e flexibilidade e na capacidade de adaptação às novas situações. De modo geral esta investigação permitiu viabilizar um instrumento que poderá ajudar a pequena empresa a cumprir de modo satisfatório suas obrigações. Os beneficiários serão os empresários, os funcionários e as partes interessadas isto é, a sociedade.