Megawatt Solar: geração solar fotovoltaica integrada a uma edificação inserida em meio urbano e conectada à rede elétrica. Estudo de caso: Edifício Sede da Eletrosul, Florianópolis - Santa Catarina

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Florianópolis, 2010

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Zomer, Clarissa Debiazi
Orientador/a: Rüther, Ricardo
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93727
Resumo Português:A inserção de geradores convencionais de energia geralmente ocorre em locais afastados dos grandes centros urbanos, pois tende a acarretar problemas para o entorno como poluição do ar, poluição sonora e poluição visual. No entanto, com a energia cada vez mais necessária para o desenvolvimento humano, utilizar a fonte de geração próxima ao ponto de consumo é uma maneira eficaz de reduzir as perdas por transmissão e distribuição (T&D), Neste contexto, destaca-se a energia solar fotovoltaica, que, além de gerar eletricidade de forma distribuída, diferenciando-se da forma como se constitui o setor elétrico brasileiro, é inesgotável, silenciosa, estática, extremamente simples em sua operação, possui característica modular e pode integrar-se a edificações. Tem-se então, através da geração fotovoltaica, a oportunidade de instalar geradores limpos, renováveis e silenciosos em meio urbano. O objetivo desta dissertação é analisar a inserção do que poderia ser o maior gerador fotovoltaico da América do Sul de que se tem notícia até o presente, integrado ao envelope da edificação da Eletrosul, empresa do setor elétrico, localizada em área urbana de Florianópolis - SC. Através do estudo de área disponível na edificação e suas áreas adjacentes, quantificou-se o potencial fotovoltaico existente na Eletrosul. A partir daí, estimou-se a geração fotovoltaica horária, mensal e anual, a fim de comparar com o consumo da edificação. Com 1 MWp instalado, a contribuição anual seria de 31% do consumo energético, chegando a 42% no mês de dezembro. Na comparação horária, verificaram-se momentos de geração energética superior ao consumo, resultando em energia injetada na rede. Como o consumo e a geração fotovoltaica apresentaram curvas semelhantes, constatou-se a possibilidade de uma recontratação de demanda pela empresa, agregando mais valor à integração fotovoltaica. Por fim, analisou-se a participação da geração deste sistema de grande porte na redução de consumo energético no alimentador em que a edificação está inserida. Neste caso, a contribuição foi de 5% do consumo anual. Através das análises, pode-se quantificar a contribuição energética de um gerador fotovoltaico de grande porte tanto para a edificação quanto para o alimentador em que ela está inserida.