Produção do yeísmo em falantes nativos de espanhol e aprendizes brasileiros: um estudo a partir de análises acústicas

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2011

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Dias, Eva Christina Orzechowski
Orientador/a: Barros, Luizete Guimarães
Co-orientador/a: Seara, Izabel Christine
Format: Dissertação
Language:por
Published: Florianópolis, SC
Online Access:http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/95943
Resumo Português:Este trabalho consiste em um estudo sobre o fenômeno do yeísmo na língua espanhola, a partir de análises fonético-acústicas de dados obtidos com falantes nativos e aprendizes brasileiros de espanhol. Fonologicamente, o yeísmo é visto como um fenômeno de desfonologização, em que há perda do fonema lateral palatal /./, sendo produzido como o fonema palatal /y/. Na fala, esse fenômeno se manifesta como diferentes variantes, podendo realizar-se com articulações mais fechadas (fricativas e africadas), mais abertas (semiconsoantes) ou, ainda, intermediárias (aproximantes). Autores observam que, apesar de que a norma culta do espanhol mantenha a oposição entre os fonemas /./ e /y/, a ocorrência do fenômeno do yeísmo em grande parte do território hispano-falante, caracteriza uma mudança no quadro fonológico da língua espanhola, ocorrida pela perda do fonema /. /. No âmbito do ensino-aprendizagem de espanhol, o yeísmo já encontra espaço nas discussões sobre a diversidade do espanhol em sala de aula, pois os diferentes tipos de yeísmo encontrados constituem um dos fatores mencionados nas caracterizações das variedades do espanhol. A pesquisa realizou um levantamento de dados sobre as diferentes variantes relacionadas ao yeísmo e observou a produção do fenômeno em falantes nativos do espanhol, provenientes de três regiões dialetais: rio-platense, costa atlântica colombiana e região do vale do Cauca da Colômbia. Além disso, observou a produção do fenômeno em brasileiros aprendizes de espanhol, de nível intermediário e avançado. O objetivo do estudo consistiu em verificar, de um lado, se os nativos produziriam as variantes esperadas, e de outro, se os aprendizes realizariam o fenômeno do yeísmo ou se seguiriam a norma culta do espanhol, diferenciando os fonemas /./ e /y/. Para isso, foram realizadas gravações de fala lida e os dados foram submetidos a análises fonéticoacústicas. A partir dos dados qualitativos, foram observadas as frequências de ocorrência das variantes encontradas. Em seguida, foi realizada uma análise quantitativa para ratificar ou não essas variantes. Os resultados indicaram que houve variação do fenômeno entre os dados referentes aos grupos de falantes nativos. Os falantes nativos oriundos da região do Rio da Prata produziram yeísmo exclusivamente com a variante fricativa palatal não-vozeada [.]; os falantes provenientes da região costeira colombiana realizaram predominantemente a variante semiconsoante [j] e a fricativa palatal vozeada [.], e os falantes do interior da Colômbia tenderam a produzir a africada palatal vozeada [d.] e a aproximante [.]. Em relação aos aprendizes brasileiros de espanhol, verificou-se que, no nível intermediário, a maior parte dos participantes não realizou yeísmo e, no nível avançado, os participantes, em sua maioria, produziram o fenômeno. As variantes mais produtivas foram a semiconsoante [j] e a fricativa palatal não-vozeada [.].
Resumo inglês:This work consists of a study on the phenomenon of yeísmo in the Spanish language. In the phonological level, yeísmo is known as the loss of the palatal lateral phoneme /./, being produced as a palatal /y/. In speech production, this phenomenon is produced with different variants: with a closed articulation (as the fricatives [.] and [.] or the affricate [d.]) and with an open articulation (as a glide [j] or as an approximant [.]). The production of yeísmo in a great part of the Spanish-speaking countries characterizes a change in the phonological chart of the Spanish language due to the deletion of the /./ phoneme. The present research carried out an investigation on the different productions of the yeísmo by three groups of Spanish native speakers: three participants from Río de la Plata, two from Colombian Atlantic coast, and two from Valle del Cauca, in Colombia. Moreover, this study also analyses the production of the same phenomenon by Brazilian learners of Spanish from the intermediate and advanced levels. Speech data was recorded an acoustic analysis was conducted in the software Praat. Data were statistically tested in order to verify their level of relevance. The results showed that all the three groups of native speakers produced the phenomenon of yeísmo: native speakers from Río de la Plata produced the voiceless palatal fricative [.]; native speakers from the Colombian Atlantic coast produced the voiced palatal fricative [.] and the glide [j]; and native speakers from Valle del Cauca produced the voiced affricate [d.] and the approximant [.]. Regarding the nonnative group, the most of the participants from the intermediate level did not produce the phenomenon and all the participants from the advanced level produced the yeísmo with the variants [.] and [j]. Thus, the results demonstrate that Brazilian learners of Spanish tend to increase the production of yeísmo as they improve their experience in the language.