Estudo fitoquímico e atividade biológica de Lupinus lanatus

As a part of our ongoing search of new bioactive secondary metabolites of plant origin, the aerial parts of Lupinus lanatus were subjected to phytochemical investigation. Lupinus genus, belonging to the family of Leguminosae (Fabaceae), is widely distributed in south and western North America, in th...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Tiburski Neto, Alexandre lattes
Orientador/a: Morel, Ademir Farias lattes
Banca: Dalcol, Ionara Irion lattes, Missau, Fabiana Cristina lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Santa Maria
Programa: Programa de Pós-Graduação em Química
Department: Química
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.ufsm.br/handle/1/10479
Citação:TIBURSKI NETO, Alexandre. Phytochemical study and biological activity of Lupinus lanatus. 2011. 156 f. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.
Resumo Português:Como parte da nossa busca permanente por novos metabólitos secundários bioativos de origem vegetal, as partes aéreas de Lupinus lanatus foram submetidas a investigação fitoquímica. O gênero Lupinus, pertencente à família das leguminosas (Fabaceae), é amplamente distribuída no sul e oeste da América do Norte, na região mediterrânica e na África, representado por cerca de 600 espécies. No Rio Grande do Sul, Brasil, o gênero está representado por 13 espécies, entre elas, L. lanatus. Este apresenta-se como um pequeno arbusto e está presente na América do Sul, no Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina. No Rio Grande do Sul, L. lanatus é conhecido popularmente Tremoço, e seu gênero é utilizado na medicina popular como agente antidiabético, antitumoral, antifúngico e antioxidante. Os alcalóides Quinolizidínicos, como lupanina, multiflorina, esparteína e argirina, são amplamente distribuídas em plantas do gênero. Seus efeitos biológicos, como antiarrítmicos, hipoglicemiante, hipotensor, depressor do SNC, alucinógenos e estimulante respiratório, entre outros, tem sido amplamente estudados. No presente trabalho, é descrito o isolamento e elucidação estrutural de um novo alcalóide quinolizidínico, Lanatina A, juntamente com o 13-α-cinnamoiloxilupanina e 13-α-hidroxilupanina oriundos das folhas, e (-)multiflorina e (-)13-α-cis-tigloiloximultiflorina isolados a partir das sementes de L. Lanatus.
Resumo inglês:As a part of our ongoing search of new bioactive secondary metabolites of plant origin, the aerial parts of Lupinus lanatus were subjected to phytochemical investigation. Lupinus genus, belonging to the family of Leguminosae (Fabaceae), is widely distributed in south and western North America, in the Mediterranean region and Africa, with approximately 600 species. In Rio Grande do Sul, Brazil, the genus is represented by 13 species, among them, L. lanatus. This is a small shrub native to South America, mainly south Brazil (Rio Grande do Sul), Uruguai, Paraguai and Argentine. In Rio Grande do Sul, L. lanatus is called tremoço, and it is used in folk medicine as an antidiabetic, antifungal, antitumor and antioxidant agent. Quinolizidine alkaloids, such as lupanine, multiflorine, sparteine and argirine, are widely distributed in plants of the genus. Their biological effects, as antiarrhythmic, hypoglycemic, hypotensive, depressing CNS, hallucinogenic and respiratory stimulant activities, among others, has been studied previously. In the present paper, we describe the isolation and structural elucidation of a new quinolizidine alkaloid, lanatine A together with 13-α-cinnamoyloxylupanine, and hydroxylupanine from the leaves, and (-)multiflorine and (-)13-α-cis-tigloyloxymultiflorine from the seeds of L. lanatus.