Efeitos da suplementação de glutamina na ração de tilápia do Nilo sobre o desempenho e resistência à infecção bacteriana

The current study was aimed at evaluate the effect of dietary glutamine supplementation in diets of Nile tilapia adults (Oreochromis niloticus) on the performance and resistance to infection by Streptococcus agalactiae. Two trials were carried out at the fish nutrition laboratory of the Animal Scien...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Quadros, Moisés lattes
Orientador/a: Lanna, Eduardo Arruda Teixeira lattes
Co-orientador/a: Brustolini, Paulo César lattes, Donzele, Juarez Lopes lattes
Banca: Oliveira, Leandro Licursi de lattes, Kiefer, Charles lattes
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Federal de Viçosa
Programa: Doutorado em Zootecnia
Department: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://locus.ufv.br/handle/123456789/1745
Citação:QUADROS, Moisés. Effects of glutamine supplementation in the ration of Nile tilapia on performance and resistance to bacterial infection. 2010. 63 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Resumo Português:Objetivando-se determinar os efeitos da suplementação de glutamina em rações para adultos de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus), da linhagem tailandeza, sobre o desempenho e resistência à infecção por Streptococcus agalactiae foram realizados dois experimentos no laboratório de nutrição de peixes, do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa. No primeiro experimento, com duração de 32 dias, objetivou-se avaliar os efeitos da suplementação de L-glutamina na dieta. Foram utilizados 300 adultos, com peso inicial de 201 ± 1,51g. Os peixes foram mantidos em 25 aquários de 320 litros dotados de abastecimento de água, temperatura controlada e aeração individuais e alimentados por seis refeições diárias. Os tratamentos foram constituídos por cinco níveis de suplementação de glutamina (0, 1, 2, 3 e 4%), sendo rações isoenergéticas e isolisínicas digestíveis, cinco repetições por tratamento e doze peixes por unidade experimental. Avaliaram-se os parâmetros de desempenho, a composição corporal, a deposição de proteína e gordura corporais e a eficiência de retenção de nitrogênio dos peixes. A suplementação de L-glutamina na ração não afeta o ganho de peso, a taxa de crescimento específico, o teor de proteína corporal, as taxas de deposição de gordura e de proteína, relação de deposição de gordura:proteína, eficiência de retenção de nitrogênio, a conversão alimentar, eficiência de lisina e protéica para ganho, umidade corporal e gordura corporal. No segundo experimento, com duração de 55 dias, objetivou-se avaliar os efeitos da suplementação dietética de glutamina sobre a resistência à infecção causada por Streptococcus agalactiae. Foram utilizados 144adultos, com peso inicial de 201 ± 1,51g em um delineamento inteiramente causualizado, com sies tratamentos, duas repetições e 12 animais por unidade experimental. Os peixes foram mantidos em 12 aquários de 320 litros dotados de abastecimento de água, temperatura controlada e aeração individuais e alimentados comseis refeições diárias. Os animais foram alimentados por um período de 32 dias com cinco rações experimentais isoproteicas e isolisínicas, com cinco níveis de suplementação de glutamina (0, 1, 2, 3 e 4%). Ao final deste período todos os peixes foram desafiados através de uma injeção intraperitonial com 0,1 mL de inóculo de Streptococcus agalactiae 4x105 UFC/mL, com exceção do grupo controle, o qual foi inoculado com 0,1 mL de (BHI) e receu a ração contendo 0% de suplementação. Os peixes infectados continuaram recebendo as rações com os cinco níveis de suplementação de glutamina. Os animais foram monitorados por um período de vinte e três dias após a infecção. Foi registrado o comportamento alimentar dos animais e a ocorrência de sintomas clínicos da meningoencefalite, tais como letargia, anorexia, natação errática e exoftalmia. O nível de 2% de suplementação de glutamina na ração proporciona a menor taxa de mortalidade e maior redução dos sintomas de infecção causada por Streptococcus agalactiae em adultos de tilápia do Nilo.
Resumo inglês:The current study was aimed at evaluate the effect of dietary glutamine supplementation in diets of Nile tilapia adults (Oreochromis niloticus) on the performance and resistance to infection by Streptococcus agalactiae. Two trials were carried out at the fish nutrition laboratory of the Animal Science Department of the Federal University of Viçosa. In the first experiment, aimed at evaluate the effect of L-glutamine supplementation in the diet. Three hundred reverted Nile tilapia (Oreochromis niloticus), thailand line (201 ± 1.51g), were allotted at a completely randomized design, with five treatments (0, 1, 2, 3 and 4% of glutamine supplementation in the diet), all of then were isoenergetic and digestible isolysinic, and minimum ratios between the other amino acids with the lysine, five replicates by treatment and twelve fishes per experimental unit. Fishes were maintained in 25 aquariums of 320 liters supplied with single-pass flow-through water and aeration, controlled temperature and they were fed six daily meals during 32 days. Performance, corporal composition, corporal protein and fat deposition and nitrogen retention efficiency of the fishes were evaluated. L-glutamine supplementation in the diet does not affect weight gain, specific growth rate, the amount of body protein, fat and protein deposition rates, fat:protein ratio, nitrogen retention efficiency, feed:gain ratio, lysine and protein efficiency for growth, body water and fat. In the second one, aimed at investigate effects of dietary supplementation of glutamine on resistance to infection caused by Streptococcus agalactiae, 144 adults reverted Nile tilapia (Oreochromis niloticus), of the Thailand line, with initial weight of 201 ± 1.51 g were used in an experiment with completely randomized design, six treatments, two replicates and 12 animals per experimental unit. Fishes were fed during 32 days with five experimental diets isonitrogenous, isoenergetic, and five levels of glutamine supplementation (0, 1, 2, 3 and 4%). At the end of this period all fish were challenged by an intraperitoneal injection with 0.1 mL inoculum of S. agalactiae 4x105 CFU / mL, except for the control group, which was inoculated with 0.1 ml of sterile Brain Heart infusion (BHI) and fed a diet containing 0% supplementation. The infected fish continued to receive diets with five levels of glutamine supplementation. The animals were observed during twenty-three days after infection. Fishes were maintained in 12 aquariums of 320 liters supplied with single-pass flow-through water and aeration, controlled temperature and they were fed six daily meals during 55 days. During the feeding period was recorded animals feeding behavior and the occurrence of clinical symptoms of meningoencephalitis, such as lethargy, anorexia, erratic swimming and exophthalmia. The level of 2% L-glutamine supplementation in diet provids the lowest mortality rate and greater reduction of symptoms of infection caused by Streptococcus agalactiae in adults of Nile tilapia.