Fatores econômicos e culturais da sucessão na agricultura familiar: um estudo sobre o Oeste Catarinense

Family farming is responsible for most of the food supply, the majority of productive employment and to keep active most of the key cultural characteristics of the Brazilian countryside. However in spite of its expressiveness in agricultural production and ability to interact with other social and e...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Costa, Adriana Maria da Silva lattes
Orientador/a: Fiúza, Ana Louise de Carvalho lattes
Co-advisor: Pinto, Neide Maria de Almeida lattes, Doula, Sheila Maria lattes
Banca: Ferreira Neto, José Ambrosio lattes, Lisboa, Janaína Marques de Miranda lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Viçosa
Programa: Mestrado em Extensão Rural
Department: Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://locus.ufv.br/handle/123456789/4124
Citação:COSTA, Adriana Maria da Silva. Economic and cultural factors in succession of family farms: a study of the West of Santa Catarina. 2010. 180 f. Dissertação (Mestrado em Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Resumo Português:A agricultura familiar é responsável por grande parte do abastecimento alimentar, pela maioria da ocupação produtiva e por manter ativa grande parte das características culturais fundamentais do rural brasileiro. No entanto apesar, de sua expressividade na produção agrícola e capacidade de interação com outras atividades econômicas e sociais, a literatura vem apontando que os estabelecimentos familiares estão passando por um redirecionamento nas relações socioculturais e econômicas buscando sustentar um sucessor na propriedade. Neste contexto, o referido trabalho tem como objetivo analisar o processo de sucessão na agricultura familiar no Extremo Oeste Catarinense, tentando compreender o peso dos fatores socioculturais na saída ou na permanência do jovem no meio rural. Para tanto, realizamos pesquisa teórica e empírica, em três microrregiões no Oeste de Santa Catarina, que apresentam aspectos distintos no processo de colonização. Como fatores intervenientes aos processos sucessórios, a região, mantém traços socioculturais heterogêneos referentes, à religiosidade e descendência, principalmente entre os agricultores familiares, responsáveis pela colonização das microrregiões de estudo. Como resultados da pesquisa, encontramos nas famílias de agricultores fatores socioculturais internos a famílias de agricultores familiares como grandes responsáveis pela migração dos jovens do meio rural, principalmente ao que se refere ao poder patriarcal. A pesquisa evidenciou ainda que, a migração dos mais jovens é vista pelos atuais gestores, como meio de manter um filho na propriedade como sucessor, dando a este estabilidade econômica e condição de manter a propriedade produtiva e rentável.
Resumo inglês:Family farming is responsible for most of the food supply, the majority of productive employment and to keep active most of the key cultural characteristics of the Brazilian countryside. However in spite of its expressiveness in agricultural production and ability to interact with other social and economic activities, literature has also pointed out that family farms are going through a redirect in the sociocultural and economic relations and sought to sustain a successor in ownership. In this context, the study aims to examine the succession process in family farming in the Far West of Santa Catarina, trying tounderstand the weight of sociocultural factors on output or the permanence of the young in rural areas. We made theoretical and empirical research in three microregions in western Santa Catarina, which present different aspects in the process of colonization. As intervening factors to the processes of succession, the region remains heterogeneous socio-cultural traits related to the religiosity and offspring, especially among farmers, responsible for the colonization of the micro study. As the survey results, we find the families of farmers sociocultural factors internal to family farmers and large responsible for the migration of rural youth, mainly in relation to patriarchal power. The survey also showed that the migration of young people is seen by the current managers as a means of keeping a child in the property as his successor, giving the condition of economic stability and maintain the property productive and profitable.