Movimentos sociais, apropriação das tecnologias da informação e comunicação e a centralidade na rede da Coordinadora Latinoamericana de Organizaciones del Campo

Coordinadora Latinoamericana de Organizaciones del Campo (CLOC), an example of the current internationalism and of social movements in Latin America, started its activities in 1989 during the celebration of the 500th anniversary of the Discovery and Colonization of the Americas. In this process of i...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Zampier, Maika Bueque lattes
Orientador/a: Doula, Sheila Maria lattes
Co-advisor: Amodeo, Nora Beatriz Presno lattes, Rothman, Franklin Daniel lattes
Banca: Barbosa, Willer Araujo lattes, Pinho, José Benedito lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Viçosa
Programa: Mestrado em Extensão Rural
Department: Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://locus.ufv.br/handle/123456789/4223
Citação:ZAMPIER, Maika Bueque. Social movements, appropriation of information and communication technologies and centrality of the network of Coordinadora Latinoamericana de Organizaciones del Campo. 2007. 239 f. Dissertação (Mestrado em Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Resumo Português:A Coordinadora Latinoamericana de Organizaciones del Campo (CLOC), um exemplo do atual internacionalismo e das redes de movimentos sociais na América Latina, iniciou suas atividades em 1989, na época das comemorações dos 500 anos do Descobrimento e Colonização da América. Nesse processo de internacionalização e de mudanças organizativas, destaca-se a utilização das tecnologias da informação e comunicação, provocando interessantes desdobramentos na articulação. Analisamos a infra-estrutura e a forma de comunicação que caracterizam a CLOC para, posteriormente, observar como elas influenciam as posições das organizações-membro na rede. Utilizamos como método a pesquisa documental, a sociometria e as entrevistas semi-estruturadas com 24 organizações-membro. Como resultado, afirmamos que a tecnologia e o fluxo de informação não determinam os centros da rede; de igual modo, não são um critério político de eleição das secretarias operativas. Isso ocorre porque as falhas comunicacionais podem e devem ser melhoradas pelo conjunto da organização. Outro aspecto político é que no trabalho em rede a responsabilidade não fica somente na coordenação, mas é distribuída entre os diversos membros. Se não fosse trabalhado dessa forma, somente as organizações antigas e com uma estrutura consolidada poderiam ser os responsáveis administrativos da rede. Assim, relativizamos a idéia linear de que a maior tecnologia levará posteriormente à maior centralidade na rede. A apropriação das tecnologias vai mais além do domínio de técnicas e da descoberta da lógica do trabalho em rede, entrando no domínio da construção de significados, respondendo a princípios de participação democrática, desenvolvimento organizativo, transformação, mudança e construção da rede.
Resumo inglês:Coordinadora Latinoamericana de Organizaciones del Campo (CLOC), an example of the current internationalism and of social movements in Latin America, started its activities in 1989 during the celebration of the 500th anniversary of the Discovery and Colonization of the Americas. In this process of internalization and organizational changes, the use of information and communication technologies stands out, bringing about some interesting aftermaths in its articulation. We analyzed the infrastructure and the form of communication that characterize CLOC so as to analyze how they influence the positions of the organizations compounding the network. We used as method the documental research, the sociometry and the interviews, semi-structured among 24 different member organizations. As a result, we state that the technology and the information flux do not determine the networks nuclei. In addition, they are not a political criterion for electing operative secretaries. This happens because communication failures can and must be improved by the organization as a whole. Another political aspect is that, in networking, the responsibility lies not only in the coordination, but it is distributed among the various members. Were it not so, only old organizations with a consolidated structure could be responsible for running the network. Thus, we relativized the linear idea that the greater technology will later lead to the greater centrality in the network. The appropriation of the technologies goes beyond mastering their techniques and discovering the working logic of the network, getting in the domain of building meanings, responding to the principles of democratic participation, organizational development, transformation, change and construction of the network.