Efeitos das mudanças climáticas globais na agricultura brasileira: análise da irrigação como estratégia adaptativa

The main objective of this paper was to analyze the effects of global climate change on agriculture in Brazil. But, unlike other studies performed for Brazil, it was considered that producers will try to adapt to climate change. Irrigation was considered as an adaptive strategy, since Brazil present...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Cunha, Dênis Antônio da lattes
Orientador/a: Coelho, Alexandre Bragança lattes
Co-advisor: Feres, José Gustavo lattes, Braga, Marcelo José lattes
Banca: Itaborahy, Cláudio Ritti lattes, Dias, Roberto Serpa lattes, Lírio, Viviani Silva
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Federal de Viçosa
Programa: Doutorado em Economia Aplicada
Department: Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://locus.ufv.br/handle/123456789/141
Citação:CUNHA, Dênis Antônio da. Impacts of climate change on brazilian agriculture: an analysis of irrigation as an adaptation strategy. 2011. 147 f. Tese (Doutorado em Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Resumo Português:O desafio da economia às mudanças climáticas globais tem sido oferecer respostas confiáveis a respeito da direção e magnitude dos impactos nos diversos setores econômicos e sobre onde, quanto, como e quando se deve investir em mitigação e adaptação. Para o setor agrícola de países em desenvolvimento, esperam-se os maiores efeitos negativos. Considerando que a produção agropecuária responde por parcela expressiva da renda brasileira, pode-se afirmar esse é um tema de especial relevância para a agenda de desenvolvimento do país. Nesse sentido, o presente estudo teve como objetivo analisar os efeitos das mudanças climáticas no setor agrícola nacional, incluindo as estratégias de adaptação na estimativa dos impactos. Partiu-se da pressuposição de que os agricultores não continuarão realizando a(s) mesma(s) atividade(s) sem alteração de suas técnicas produtivas. A estratégia adaptativa considerada foi a irrigação, já que o país tem ampla disponibilidade de água e condições favoráveis para o desenvolvimento sustentável dessa atividade. O estudo foi fundamentado na visão teórica de que a vulnerabilidade de um setor é condicionada pela magnitude das alterações do clima e também pela sua capacidade de empreender ações de adaptação. O modelo econômico utilizado procura explicar a decisão de irrigar dos produtores como um processo de maximização de benefícios, no qual somente são observadas escolhas ótimas. Analiticamente, estimou-se um modelo de Efeito de Tratamento, por meio da técnica de Pareamento por Escore de Propensão, que permitiu avaliar os retornos da prática de irrigação e compará-los aos da produção de sequeiro. As previsões futuras das variáveis climáticas (temperatura e precipitação) se referem a três períodos de 30 anos (de 2010 a 2039, de 2040 a 2069 e de 2070 a 2099), sob dois cenários de mudanças climáticas (A1B e A2). Os resultados obtidos confirmaram a expectativa de que a irrigação é influenciada pelas variações climáticas e, dessa forma, pode ser modelada como medida adaptativa. De modo geral, a análise dos fatores associados à sua adoção no Brasil indicou que, para ser um irrigante, o produtor precisa ter renda suficiente para arcar com os custos de investimento, conhecimento técnico e capacidade administrativa. Além disso, sua propriedade deve ter disponibilidade hídrica e boas condições de solo. No que se refere ao efeito da irrigação sobre os rendimentos dos produtores, os resultados apontam duas conclusões distintas. No período atual, foram estimados retornos maiores para a produção de sequeiro. Essa resposta está diretamente ligada aos custos elevados de implantação de um sistema de irrigação. Não obstante, quando se consideram os cenários futuros de mudanças climáticas, o resultado se inverte. Foi possível identificar que a renda dos irrigantes tende a ser crescente e mais estável. Produtores de sequeiro, por outro lado, serão impactados negativamente, podendo ter seus ganhos reduzidos em até 14% do valor atual. Conclusões semelhantes foram obtidas para pequenos produtores, embora as perdas esperadas para a produção de sequeiro sejam consideravelmente maiores do que os impactos médios do setor agrícola. De modo geral, os resultados desta pesquisa reforçam a necessidade da formulação de políticas públicas no Brasil que busquem estratégias de combate aos efeitos do aquecimento global no setor. Ademais, dada a comprovação da importância da irrigação como medida adaptativa, deve-se incentivar a criação de políticas nacionais de crédito específicas para a implementação dessa prática, principalmente para os produtores menos capitalizados.
Resumo inglês:The main objective of this paper was to analyze the effects of global climate change on agriculture in Brazil. But, unlike other studies performed for Brazil, it was considered that producers will try to adapt to climate change. Irrigation was considered as an adaptive strategy, since Brazil presents favorable conditions for sustainable development of this activity. The Treatment Effect model was used in this research. Results confirmed prior expectation that irrigation is influenced by climate variations and, thus, should be modeled as an adaptive measure. Given current conditions, irrigation has been adopted more as a response to reduced rainfall occurrences than to temperature variations. In general, the analysis of factors associated with its adoption in Brazil showed that to be an irrigator, the farmer must have enough income to afford the costs of investment, technical knowledge (which involves understanding the potential and limitations of the technique, and its operation and functioning) and administrative capacity. Furthermore, his/her farm must have good water availability as well as good soil conditions. It is possible to conclude that irrigators income tends to be more stable, demonstrating the effectiveness of irrigation as an adaptive measure. Given the predictions of climate change, irrigation has the potential to contribute to improve Brazil agricultural performance, making producers less vulnerable to climate. It is confirmed, thus, the need to include adaptation measures in the estimation, providing a good assessment of what really happens. Ignoring the adjustment causes an overestimation of damages, sometimes in a dramatic way. In general, results of this study suggest that the impacts of climate change on agriculture in Brazil will not be so pessimistic. At the same time, they reinforce the need for public policies that seek strategies to combat the effects of global warming in agriculture. Moreover, given the evidence of irrigation importance as an adaptive measure, the creation of specific credit policies for irrigation should be encouraged, especially for less capitalized producers. It would be a way to avoid the increase of regional inequalities in Brazil.