Análise experimental na fase de pós-puncionamento de lajes cogumelo de concreto armado

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil, 2003.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2003
Main Author: Lima Neto, Aarão Ferreira
Orientador/a: Melo, Guilherme Sales Soares de Azevedo
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:https://repositorio.unb.br/handle/10482/37156
Citação:LIMA NETO, Aarão Ferreira. Análise experimental na fase de pós-puncionamento de lajes cogumelo de concreto armado. Brasília , 2003. xix, 127 f., il. Dissertação (Mestrado em Estruturas e Construção Civil)—Universidade de Brasília, Brasília, 2003.
Resumo Português:Foram analisadas experimentalmente 8 lajes cogumelo de concreto armado, com concreto com resistência entre 41 e 48 MPa, com o objetivo de se verificar o comportamento e eficiência de lajes cogumelo com a inclusão de armadura situada no bordo inferior e através da armadura longitudinal do pilar, na fase de pós puncionamento da ligação. Esta armadura aumenta a ductilidade da ligação na fase de pós puncionamento e contribui para evitar a ocorrência de colapso progressivo. As lajes foram confeccionadas com dimensões de 1800 x 1800 x 130 mm, com um pilar com dimensões de 170 x 170 x 150 mm na parte de baixo da laje. As principais variáveis analisadas foram a presença ou não de armadura de cisalhamento (presente em 04 lajes), e a presença ou não e a quantidade de armadura de pós puncionamento (presente em 06 lajes). São apresentados e analisados resultados de carga última, fissuração, deflexões, ductibilidade, deformações do concreto e das armaduras de flexão, cisalhamento e de colapso progressivo. São apresentadas também comparações com outros resultados disponíveis na literatura e com recomendações normativas. Em função dos resultados obtidos foi sugerida uma modificação em um item na Norma Brasileira NB1-2001. Os resultados comprovaram a eficiência da armadura de colapso progressivo em aumentar a resistência na fase de pós puncionamento, aumentando a capacidade de carga de 25% da carga última de puncionamento (laje sem armadura de colapso progressivo) para até 77% (laje com armadura de colapso progressivo). Já para as lajes com armadura de cisalhamento a capacidade de carga passou de 32% da carga última de puncionamento (laje sem armadura de colapso progressivo) para até 60% (laje com armadura de colapso progressivo).