Laços e traçados da China no Brasil : implantação de infraestrutura energética e a componente socioambiental

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2018.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Silveira, Laura Cristina Feindt Urrejola
Orientador/a: Bécard, Danielly Silva Ramos
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/34946
Citação:SILVEIRA, Laura Cristina Feindt Urrejola. Laços e traçados da China no Brasil: implantação de infraestrutura energética e a componente socioambiental. 2018. 243 f., il. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo Português:Esta pesquisa tem como propósito compreender os motivos que levam a China, por meio de empresas estatais especializadas no setor de energia, a investir no mercado energético brasileiro, de 2008 a 2018. A investigação selecionou os empreendimentos localizados na região amazônica. Analisamos os contratos de concessão firmados entre os agentes econômicos do governo chinês e a Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL e os respectivos processos em trâmite junto aos órgãos de licenciamento ambiental. Destarte, foi possível concatenar a retórica da Belt and Road Initiative - BRI, projeto chinês que se prontifica a promover o desenvolvimento sustentável por meio de uma cooperação Sul-Sul, com as efetivas ações em curso, em território brasileiro. Os projetos em implantação podem viabilizar a transmissão de energia, gerada a partir de fontes renováveis em qualquer parte do planeta, até a China, ou qualquer outro país, por meio de Linhas de Ultra-Alta-Tensão, constituindo a Global Energy Interconnection – GEI. Esse sistema irá contribuir com a transição da economia chinesa para um patamar mais aceitável quanto a emissão de carbono. Resgatando o título dessa dissertação, é possível afirmar que os laços estabelecidos entre a China e o Brasil estão viabilizando traçados em conexões globais de energia. E, por conseguinte, quando a energia estiver assegurada, viabilizarão a operação de traçados ferroviários, também partindo do Brasil, oportunizando a conexão entre o Atlântico e Pacífico. São os laços entre a República Popular da China e a República Federativa do Brasil constituindo-se em traçados de conexão global, percorrendo os vazios estratégicos na Amazônia brasileira.