Uma análise da perífrase progressiva com verbos estativos no português brasileiro

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2015.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Bittencourt, Marco Túlio Orelli
Orientador/a: Naves, Rozana Reigota
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/18645
http://dx.doi.org/10.26512/2015.07.D.18645
Citação:BITTENCOURT, Marco Túlio Orelli. Uma análise da perífrase progressiva com verbos estativos no português brasileiro. 2015. 73 f., il. Dissertação (Mestrado em Linguística)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo inglês:Nesta pesquisa, investigamos a ocorrência do progressivo com predicados estativos no português do Brasil tal como exemplificado em João está sabendo geografia e em Maria está vivendo com Pedro. Segundo Cunha (1998, 2004), em proposta desenvolvida para o português europeu, predicados desse tipo se distinguem pela presença/ausência do traço semântico [ + faseável], sendo o progressivo empregado somente com os estativos faseáveis. Analisando os dados do português brasileiro relativos a diferentes subclasses semânticas desses estativos (existenciais, epistêmicos, copulativos, locativos, perceptivos e psicológicos), desenvolvemos a hipótese de que o progressivo, quando combinado com os estativos faseáveis, marca a fronteira ou a transição de fases de um dado estado, distinguindo uma fase anterior do estado e uma fase em curso. Para captar a noção semântica de faseabilidade proposta por Cunha (1998, 2004) em termos formais, recorremos à proposta de Parsons (1990), para o inglês, que trabalha com a noção de eventos subatômicos. Partimos da constatação do autor de que o progressivo tem o efeito de recortar um intervalo de tempo em que um evento é identificado como um estado de coisas, para propor que, quando se trata originalmente de um predicado estativo, o efeito do progressivo é o de identificar um intervalo de tempo em que ocorre a transição entre duas fases do estado denotado.