Retreinamento das atribuições de sucesso e fracasso no esporte : uma proposta de intervenção pedagógica

Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2006.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2006
Main Author: Benck, Rossana Travassos
Orientador/a: Casal, Hiram Mario Valdés
Format: Tese
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/5306
Citação:BENCK, Rossana Travassos Benck. Retreinamento das atribuições de sucesso e fracasso no esporte: uma proposta de intervenção pedagógica. 2006. 183 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Resumo inglês:Este trabalho apresenta um modelo de retreinamento cognitivo-atribucional, bem como os dados preliminares da investigação dos efeitos da intervenção em jovens atletas. O modelo proposto leva em consideração as atribuições, orientações às metas, clima motivacional e ansiedade como sendo determinantes para iniciar e manter uma ação motivada. Embora as razões as quais os atletas atribuem como causas para seus desempenhos (atribuições) sejam a base do modelo, estes fatores também estão diretamente relacionados na análise do comportamento motivado. São muito importantes nas suas interações com as atribuições, nas interpretações subjetivas de sucesso e fracasso, e no papel que desenvolvem no programa de retreinamento. O retreinamento cognitivo-atribucional proposto nesta pesquisa visa corrigir atribuições inadequadas responsáveis por déficits cognitivos, motivacionais, emocionais ou comportamentais em atletas. No Estudo 1 alguns instrumentos (Questionário de Percepção de Sucesso (POSQ), Questionário de Percepção do Clima Motivacional no Esporte 2 (PMCSQ 2) , Inventário de Motivação Intrínseca (IMI) e Escala Brasileira de Atribuição Causal (EBAC)), tiveram sua estrutura fatorial analisada por meio de análises fatoriais exploratórias e confirmatórias. Foi desenvolvido, também o Inventário de estado Emocional (IEE) para controle da ansiedade-estado. Estes instrumentos foram utilizados na implantação dos procedimentos da intervenção e para dar suporte empírico aos resultados da pesquisa. Os resultados do Estudo 1 mostram que todos os instrumentos apresentam bons índices de validade psicométrica e conceitual. Resultados adicionais de uma análise de regressão dos fatores da EBAC, POSQ e PMCSQ 2 sobre os índices gerais de motivação intrínseca (IMI), também revelaram a importância da orientação à tarefa do treinador no desenvolvimento e persistência da motivação intrínseca dos atletas. O Estudo 2 descreve o programa de intervenção de retreinamento cognitivo-atribucional no qual o treinador é orientado e assessorado (1) para identificar e alterar atribuições para sucesso e fracasso inadequadas (os atletas devem ser estimulados a fazer atribuições controláveis, internas e instáveis) e (2) auxiliar os atletas a administrar a ansiedade, com o uso de técnicas de relaxamento e treinamento. O Estudo 2, também descreve um estudo com três grupos de atletas: grupo experimental 1 (somente atletas do sexo feminino); grupo experimental 2 (somente atletas do sexo masculino) e grupo controle (somente atletas do sexo masculino). As análises dos resultados e os estudos de casos de três atletas, um de cada grupo de pesquisa, revelaram influencias positivas sobre todas as dimensões motivacionais relevantes no ambiente esportivo mencionadas acima. O programa de retreinamento contribuiu para melhorar o desempenho atlético, o bem estar social e psicológico e seus relatos de auto-eficácia, persistência, emprego do esforço e de estilos atribucionais. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work presents a cognitive-attributional retraining model as well as preliminary data from an investigation of its effects on young athletes. The proposed model takes into consideration the attributions, task orientations, motivational climate and anxiety as determinants of the onset and persistence of motivated actions. Although the reasons athletes attribute as causes for their performance (attributions) are the basic elements of the model, these factors are also proposed as directly related to the analysis of motivated sports behavior. These factors are very important in their interactions with the attributions and with the subjective interpretation of success and failure, as well as in their role in the development of the retraining program. The cognitive-atributional retraining program proposed in this study aims to correct inadequate attributions which are responsible for cognitive, motivational, emotional and behavioral deficits in athletes. In Study 1 several instruments (Perception of Success Questionnaire - POSQ, Perception of Motivational Climate in Sports Questionnaire 2 - PMCSQ 2, Intrinsic Motivation Inventory - IMI, and Brazilian Scale of Causal Attribution - EBAC) had their factorial structure analyzed through exploratory and confirmatory factor analysis. An Inventory of Emotional State (IEE) was developed too to control state-anxiety. These instruments were used in the implementation of the intervention procedures and in the research that examined their empirical support. The results of Study 1 showed that all the inventories presented good psychometric and theoretical validities. Additional results from a regression analysis of the factors from the EBAC, POSQ and PMCSQ 2 on a general index of intrinsic motivation (IMI) also revealed the importance of the coach’s goal orientation in the development and persistence of the athletes’ intrinsic motivation. Study 2 describes the cognitive-attributional retraining intervention in which the coach is oriented and assisted (1) to identify and change inadequate attributions for success and failures (athletes should be taught to make controllable, internal and unstable attributions) and (2) help the athletes to manage their anxiety through relaxation and training techniques. Study 2 also describes a study with three groups of athletes: experimental group 1 (only female athletes); experimental group 2 (only male athletes) and a control group (only male athletes). The analysis of the results and case studies with three athletes, each from one of the research groups, revealed positive influences in all the motivational dimensions relevant to the sports environment mentioned above. The retraining program helped to improve the athletes’ performance, their social and psychological well-being and their reports of self-efficacy, persistence, greater effort and attributional styles.