Clientelismo : uma instituição política brasileira

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, Programa de Pós-Graduação, 2006.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2006
Main Author: Veloso, Giovana Rocha
Orientador/a: Kramer, Paulo Roberto da Costa
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/1431
Citação:VELOSO, Giovana Rocha. Clientelismo: uma instituição política brasileira. 2006. 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Resumo Português:O trabalho em questão trata da tentativa de identificar e compreender um dos fatores que comprometem o fortalecimento da democracia no Brasil, o clientelismo. O foco central do texto é saber como e se é possível consolidar instituições democráticas em um contexto em que valores conservadores e práticas da política tradicional são, ainda, profundamente arraigados. A hipótese que lanço é a de que o principal fator que garantiu a sobrevivência do clientelismo no atual período democrático é a sua naturalização no cenário político. Assim, parto da seguinte constatação: o clientelismo é uma instituição política no Brasil. E, como forma de se compreender a instituição clientelismo, e como esta se formou e se consolidou a partir dos novos marcos legais advindos da retomada da democracia no final da década de 1980, analiso o clientelismo sob três perspectivas. O seu lugar dentro da teoria democrática, a sua interação com fatores sócio-culturais brasileiros que deram estímulos para a perenidade das relações patrono–cliente, mesmo em cenários modernizantes, e em um último aspecto analiso a força do clientelismo para o ordenamento da arena política-legislativa. Desta forma, como meio de verificar empiricamente estas asserções, analiso os deputados federais com mais de quatro mandatos consecutivos. A conclusão é que as trocas clientelísticas bem sucedidas são uma garantia de sucesso político, na medida em que esta é capaz de adaptar-se ao novo marco institucional legal e dele tirar proveito para a sua permanência no jogo político. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The work in subject treats of the attempt of to identify and to understand one of the factors that commit the invigoration of the democracy in Brazil, the clientelism. The central focus of the text is to know as and if it is possible to consolidate democratic institutions in a context in that conservative values and practices of the traditional politics are, still, deeply ingrained. The hypothesis that I throw is that the principal factor that guaranteed the survival of the clientelism in the current democratic period is its naturalization in the political scenery. Like this, I leave of the following verification: the clientelism is a political institution in Brazil. Like this, as form of understanding the institution clientelism, and as this it was formed and consolidated starting from the new marks legal come from the retaking of the democracy in the end of the decade of 1980. I analyze the clientelism under three perspectives: its place inside of the democratic theory, its interaction with Brazilian partner-cultural factors that gave incentives for the everlasting of the relationships patrono–client, even in modernizing sceneries, and in a last aspect I analyze the force of the clientelism for the organization of the politicslegislative arena. This way, as middle of verifying these assertions empirically, I analyze the federal deputies with more than four consecutive mandates. The conclusion is that the changes clientelistics well happened they are a warranty of political success, in the measure in that this is capable to adapt to the new legal institutional mark and of him to remove advantage for his permanence in the political game.