Fragilidade osmótica por citometria de fluxo de eritrócitos na esferocitose hereditária : um estudo caso-controle avaliando o anticoagulante, o pré-tratamento da amostra e a concentração de cloreto de sódio para uma triagem

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2018.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Nobre, Camila Santos
Orientador/a: Barra, Gustavo Barcelos
Format: Dissertação
Language:por
Online Access:http://repositorio.unb.br/handle/10482/32188
Citação:NOBRE, Camila Santos. Fragilidade osmótica por citometria de fluxo de eritrócitos na esferocitose hereditária: um estudo caso-controle avaliando o anticoagulante, o pré-tratamento da amostra e a concentração de cloreto de sódio para uma triagem. 2018. 53 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo Português:O teste de fragilidade osmótica por citometria de fluxo foi recentemente introduzido na prática clínica. No entanto, o teste ainda encontra-se em desenvolvimento. Algumas variáveis importantes para o teste de fragilidade osmótica tradicional ainda não foram totalmente testadas na citometria de fluxo. Neste estudo, avaliou-se a fragilidade osmótica de indivíduos com esferocitose hereditária (casos) e indivíduos saudáveis (controles) por citometria de fluxo usando uma série de tubos contendo concentrações decrescentes de NaCl. As análises foram executadas em amostras de sangue frescas e incubadas (37oC por 24h) colhidos em EDTA e heparina como anticoagulante. As percentagens de hemácias residuais em cada concentração de NaCl foram utilizadas para traçar as curvas de fragilidade osmótica. As curvas fragilidade osmótica de cada condição testada foram comparadas por meio da fragilidade corpuscular mediana. Curvas ROC foram empregadas para avaliar as concentrações de NaCl com maior acurácia na diferenciação entre casos e controles saudáveis. Como resultado, as curvas de fragilidade osmóticas por citometria de fluxo assumiram um formato de dose-resposta típico e a fragilidade corpuscular mediana dos casos e dos controles foram diferentes em todos as condições préanalíticas testadas. A comparação das fragilidades corpuscular mediana revelou que a incubação e o anticoagulante têm efeitos maior e menor sobre o fragilidade osmóticas por citometria de fluxo, respectivamente. Cem por cento de sensibilidade e especificidade foram obtidos de 5,5 a 6 g/L de NaCl no sangue fresco-EDTA, de 6 a 8 g / L de NaCl em sangue incubado-EDTA e em nenhuma das concentrações de NaCl testadas no sangue heparinizado. Assim, o EDTA é o anticoagulante de escolha para o ensaio. A incubação à 37oC para 24h aumenta sua capacidade de diagnóstica. A concentração de NaCl mais confiável para a discriminação entre casos e controles foi de 6 g/L de NaCl em sangue fresco EDTA e 7,5 g/L de NaCl no sangue incubado-EDTA.