Dinâmicas organizacionais na construção civil: políticas de responsabilidade socioambiental e certificação em empresas brasileiras

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), como requisito parcial para a obtenção do título de Mestre em Desenvolvimento Socioeconômico.

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Garcia, Fernando Marcos
Orientador/a: Gianezini, Miguelangelo
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Português:
Online Access:http://repositorio.unesc.net/handle/1/5386
Resumo Português:Na compreensão geral da engenharia, a Indústria da Construção se divide em dois setores: Construção Pesada e Construção Civil. No Brasil, ambos possuem considerável relevância para o desenvolvimento, sendo responsáveis pela infraestrutura que propicia energia, transporte, moradia e serviços à população, contribuindo também para a competitividade das organizações em setores estratégicos. Neste contexto, as atividades do setor da construção civil têm se deparado, nos últimos anos, com a responsabilidade socioambiental, na qual as empresas precisam adotar posturas e assumir compromissos perante seus stakeholders. Observando tal condição, este estudo objetivou analisar as dinâmicas organizacionais do setor da construção civil brasileira, com foco nas políticas e práticas de responsabilidade socioambiental, a partir da experiência de empresas do segmento de incorporação imobiliária. Em complemento, se pretendeu: caracterizar o atual segmento da incorporação imobiliária no Brasil; apresentar as demandas socioambientais da legislação em vigor que “guiam” as ações de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade ambiental; e conhecer as experiências socioambientais voluntárias a partir de certificações específicas disponíveis para empresas do segmento. A pesquisa foi conduzida com visão interdisciplinar e fez uso de método indutivo, com abordagem qualitativa e natureza de pesquisa aplicada. Considerando os objetivos, os fins descritivo e explicativo foram aliados a uma estratégia de pesquisa multicascos que contou com revisão bibliográfica e levantamento documental. A amostra foi composta por três empresas do segmento de incorporação imobiliária, com atuação em nível nacional, definidas por amostragem intencional não probabilística. O marco temporal considerou o período entre 2011 e 2015. Os resultados obtidos demonstram que as empresas estudadas adotam políticas e práticas de responsabilidade socioambiental (inclusive voluntárias) em duas dimensões, sendo: aquelas voltadas à qualificação da mão-de-obra e assistência, na dimensão social; e técnicas de construção sustentável, muitas vezes vinculadas às certificações, na dimensão ambiental. Considerando o ambiente institucional, concluiu-se que as empresas adotam um posicionamento estratégico predominantemente isomórfico, que envolve práticas de responsabilidade socioambiental corporativa semelhantes, para manter os mercados nos quais atuam (cumprindo as exigências legais) e/ou conquistar novos (buscando certificações voluntárias). Por sua vez, tais práticas causam impactos não apenas às organizações, mas também aos próprios stakeholders, podendo influenciar no desenvolvimento local.