Poder e (Contra) Hegemonia Midiática na América Latina: um estudo a partir da cobertura de Telesur E Cnn En Español sobre o desaparecimento forçado dos 43 estudantes mexicanos de Ayotzinapa em 2014

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Integração Contemporânea da América Latina da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito para a obtenção do título de Mestre em Integração Latino-Americana. Orientador: Prof. Dr. Fabricio Pereira da Silva Co-orientadora...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Almeida, Domingos Alves de
Orientador/a: Silva, Fabricio Pereira da, Shuen, Li-Chang
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Portugês:
Online Access:http://dspace.unila.edu.br/123456789/3497
Citação:ALMEIDA, Domingos Alves de. Poder e (Contra) Hegemonia Midiática na América Latina: um estudo a partir da cobertura de Telesur E Cnn En Español sobre o desaparecimento forçado dos 43 estudantes mexicanos de Ayotzinapa em 2014. 2018. 129 p. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Integração Contemporânea da América Latina) - Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Foz do Iguaçu, 2018.
Resumo Português:Com esta pesquisa temos como objetivos discutir a construção de um instrumento latino-americano de Poder Brando, a partir da Televisión del Sur (teleSUR), em contraposição ao Poder Brando hegemônico da divisão em espanhol da Cable News Network (CNN), tomando como corpus a cobertura que as duas emissoras fizeram sobre o desaparecimento forçado dos 43 estudantes mexicanos da Escola Normal Rural Raúl Isidro Burgos de Ayotzinapa, em setembro de 2014. E ainda, verificar como a teleSUR constrói um discurso contra-hegemômico na América Latina, em relação à CNN en Español; e identificar as construções discursivas de ambas as TVs sobre o massacre contra os estudantes normalistas. Como base epistêmica, recorremos à vertente teórica do Poder Brando (NYE, 2002; 2004; OLIVEIRA, 2010), acompanhada de discussões sobre Colonialidade do Poder (QUIJANO, 1992; MIGNOLO, 2010) e Imperialismo Cultural (BORÓN, 2007; SAMPAIO JUNIOR, 2011; BETRÁN; CARDONA, 1982; GUARESCHI, 1987). Como metodologia utilizamos, além da pesquisa bibliográfica e documental, a Análise de Discurso (AD) de vertente francesa, na perspectiva de Orlandi (2010) e Verón (2004). Como resultado, concluímos que a teleSUR se encaminha para consolidar-se como um mecanismo de Poder Brando regional, sem, contudo, tentar impor a dominação política dos países que a mantém, sobre os demais. Sobre o desaparecimento dos estudantes, a TV sulista realiza uma cobertura mais humanizada em relação à sua rival.