Deleuze & Guattari: uma ética dos devires

Cette dissertation recherche l éthique des devenirs présente dans les uvres de Gilles Deleuze et Félix Guattari. D abord, elle aborde la Philosophie Pratique créée par les philosophes cités ci-dessus; souligne le privilège donné au mouvement plutôt qu au repos, à la variation continue au détriment d...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Carneiro, Altair de Souza lattes
Orientador/a: Heuser, Ester Maria Dreher lattes
Banca: Costa, Luciano Bedin da lattes, Schütz, Rosalvo
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Toledo
Programa: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Department: Centro de Ciências Humanas e Sociais
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/2046
Citação:CARNEIRO, Altair de Souza. Deleuze & Guattari: uma ética dos devires. 2013. 116 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia Moderna) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Toledo, 2013.
Resumo Português:Esta dissertação investiga a ética dos devires presente nas obras de Gilles Deleuze e Félix Guattari. Em um primeiro momento aborda a Filosofia Prática criada pelos referidos filósofos; destaca o privilégio que é dado ao movimento ao invés do repouso, à variação contínua em detrimento da forma determinada e da estrutura, aos vazamentos que sempre estão em vias de dissolver a organização e a estabilidade das estruturas enrijecidas, ao indefinido sobre o já acabado, à primazia do informal e ilimitado sobre o equilíbrio das formas e a medida dos limites; também aborda os pares conceituais nomadismo e sedentarismo, desterritorialização e território, molecular e molar. A fim de mostrar que esta ética dos devires está diretamente relacionada com uma política da existência, a segunda parte da pesquisa recorre aos procedimentos artísticos teatral de Carmelo Bene e literário de Franz Kafka, os quais funcionam como ferramentas para a criação do conceito de menor , o qual é imprescindível para a invenção do conceito de devir, uma vez que todo devir é menor. Por fim, no terceiro capítulo, é apresentada uma tipologia dos devires que afirma a imanência da existência; tipologia produzida sem pretensão de universalidade, porque não se trata de uma representação para todos, nem com ambição essencialista, pois não afirma que estes tipos sejam uma essência para todos, menos ainda que sejam os únicos componentes de uma tipologia dos devires; os tipos escolhidos tiveram como critério a maior insistência na obra dos filósofos, e são eles que, na perspectiva desta pesquisa, possibilitam a efetivação de uma ética dos devires, quais sejam: devir-mulher, devir-criança, devir-animal, devir-revolucionário e devir-imperceptível. A pesquisa foi produzida no âmbito do Projeto Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida do Observatório da Educação/CAPES/INEP-2010 realizado concomitantemente na UFRGS, na UNIOESTE, na UFPel e na UFMT , o qual tem como referencial teórico a Filosofia da Diferença e ocupa-se de fazer do pensamento o próprio caminho de sua produção; através de percursos desconhecidos e abertos traça desvios e opera rupturas com o já sabido e legitimado como verdades instituídas; pensamento este que opera orientado por uma política e uma ética dos devires, em que a criação é imprescindível para rebater os fenômenos de imitação e de padronização produzindo modos de vida inauditos.