UNESP
Master Thesis

Organização e espontaneidade: a autonomia das massas no pensamento dialético de Rosa Luxemburg

A linha que guia toda teoria política de Rosa Luxemburg consiste na importância fundamental fornecida à ação autônoma e criadora das massas para uma efetiva superação da sociedade capitalista em todas as esferas. A proposta deste trabalho é discutir, por meio do núcleo de acontecimentos que permeara...

Full description

Main Author: Soares, Sheila Aparecida Rodrigues [UNESP]
Other Authors: Roio, Marcos Del [UNESP]
Format: Master Thesis
Language: por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP) 2009
Subjects:
Online Access: http://hdl.handle.net/11449/88780
Summary:
A linha que guia toda teoria política de Rosa Luxemburg consiste na importância fundamental fornecida à ação autônoma e criadora das massas para uma efetiva superação da sociedade capitalista em todas as esferas. A proposta deste trabalho é discutir, por meio do núcleo de acontecimentos que permearam a vida política de Luxemburg - Bernstein-Debatte, a revolução russa de 1905, a explosão da I Guerra e a crise no movimento social-democrata, a Revolução Russa de 1917 e a criação dos soviets no movimento operário socialista internacional, juntamente com as experiências dos conselhos na Revolução Alemã de 1918-1919 - a concepção de autonomia das massas e sua importância no processo histórico levando em conta os elementos objetivos e subjetivos, a relação entre espontaneidade e organização. Pretende-se portanto destacar as propostas de estratégias políticas de Rosa Luxemburg para o fortalecimento revolucionário das organizações e instrumentos de luta próprios do proletariado, crescimento interligado à conscientização das massas, e para o desenvolvimento de embriões socialistas no interior da sociedade capitalista, que tomam forma através dos conselhos de operários e soldados. Estes produtos da experiência de luta de massa são a essência da concepção de organização democrática proletária defendida pela autora.