Dinâmica geográfica da camelotagem: a territorialidade do trabalho precarizado

Entre o período de 2005 a 2008, ocorreram várias investidas do governo federal brasileiro articulando ações nas diferentes instâncias do poder do aparelho de Estado (federal, estadual, municipal), na busca de impor o crivo da tributação sobre uma imensa quantidade de mercadorias. Dentre as estratégi...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Rodrigues, Ivanildo Dias [UNESP]
Orientador/a: Thomaz Júnior, Antonio [UNESP]
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Tax
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/96724
Citação:RODRIGUES, Ivanildo Dias. Dinâmica geográfica da camelotagem: a territorialidade do trabalho precarizado. 2008. 186 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2008.
Resumo Português:Entre o período de 2005 a 2008, ocorreram várias investidas do governo federal brasileiro articulando ações nas diferentes instâncias do poder do aparelho de Estado (federal, estadual, municipal), na busca de impor o crivo da tributação sobre uma imensa quantidade de mercadorias. Dentre as estratégias governamentais a inauguração da nova Aduana brasileira no final de outubro de 2006, foi sem dúvida, a de maior impacto no circuito espacial de circulação das mercadorias. Este circuito é movimentado por uma grande quantidade de trabalhadores com diferentes funções no transporte, no translado, na comercialização e no consumo das mercadorias. No entanto, um estudo mais aprofundado destas relações de controle e poder aponta para uma profunda articulação entre a economia do crime e a economia burguesa, entre o mercado “negro” e o mercado legalizado, e finalmente, entre o poder do Estado e a absurda lógica da produção exacerbada do desperdício.
Resumo inglês:Whitin the period of 2005 to 2008, there were several massive mesures from the brazilian government linking actions from diffirent instance of the state establishment (federal, state, municipal) in order to asses a tax on a huge number of articles. Among those governmen strategies, the Brazilian Custom-house opened in October 2006 was, without any doubt, the measure with the greatest impact on the spatial circuit of merchandise circulation. This circuit is actioned by a large number of workers with different functions for transportation, transfer, merchandising and comsumption of goods. However, a further study of these relations of control and power shows a deep articulation betwen the ilegal economy and the burgeouis economy, between the “black” market and the legal market, and at the end, between the State power and the nonsense production logic that guides huge wastefulness.