A identidade forjada pela mídia: expressões cotidianoas reveladas por jovens das classes populares em roteiros pelos metrôs de São Paulo

A avaliação dos aspectos da realidade de determinado segmento de jovens das classes populares, com mínima possibilidade de acesso a condições de trabalho formalizado - situação que os torna suscetíveis a cometerem infrações ou atividades tangenciais ao crime - e sua relação com a mídia, motivaram e...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Souza, Ana Daniela de [UNESP]
Orientador/a: Andrade, Maria Ângela Rodrigues Alves de [UNESP]
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://hdl.handle.net/11449/106089
Citação:SOUZA, Ana Daniela de. A identidade forjada pela mídia: expressões cotidianoas reveladas por jovens das classes populares em roteiros pelos metrôs de São Paulo. 2007. 155 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de História, Direito e Serviço Social, 2007.
Resumo Português:A avaliação dos aspectos da realidade de determinado segmento de jovens das classes populares, com mínima possibilidade de acesso a condições de trabalho formalizado - situação que os torna suscetíveis a cometerem infrações ou atividades tangenciais ao crime - e sua relação com a mídia, motivaram e suscitaram o objetivo deste trabalho enquanto processo de conhecimento. Nesta busca, procurou -se desvendar a influência dos meios de comunicação nas escolhas e aspirações no cotidiano dessas pessoas que vivem em situação de risco social na metrópole paulistana. O entendimento da construção de identidades recorreu às teorias que exploram as relações sociais na contemporaneidade, e também na observação participante da autora durante sua vivência e trajetos pelos metrôs de São Paulo-SP. São jovens os sujeitos desta pesquisa, conhecidos popularmente como manos, e é assim que eles se autodenominam e se reconhecem mutuamente. O contexto social em que vivem é marcado pela desigualdade social e econômica e, geralmente, estão envolvidos ou expostos ao universo da criminalidade. As atividades recorrentes ao universo da cultur a tais como a música, a dança e o grafite, assim como as outras vias que encontram para estabelecer participação social, formam os pilares em que eles se apóiam para a construção de sua identidade. Essas pessoas, em sua maior parte, moradores dos bairros p opulares e da periferia, quando envolvidos no laço coletivo para a superação da discriminação, têm seu cotidiano fortalecido por um conjunto de elementos que podem despontar em uma cultura construída como reação aos processos de exclusão social. Identidade e resistência convergem em uma ambígua formação de consciência crítica. A incitação ao consumo e a sedutora mídia tradicional e comercial influenciam esses jovens na construção de identificações. Avaliar e questionar medidas políticas para trazer melhores condições...
Resumo inglês:The evaluation of the aspects of the reality of a determined young people segment of the popular classes, with almost no access to legalized work - situation that makes them susceptible to commit infractions - and its relation with the media have motivated the objective of this work while a discovery process. This search aimed at unmasking the influence of the media in the aspirations and choices taken by those who live in a situation of social risk in the city of São Paulo. The understanding of the construction of the identities was based on the theories that explore contemporary social relations, and also on the scenes observed by the author during the time she spent on the subways of the city. The subjects of this research are young, popularly known as “manos”, and that is how they name themselves. Their social context is marked by social and economic inequality, and they are often involved in crime or exposed to it. Culture-related activities, such as music, dance and graffiti, as well as the ways they find to establish some social participation, form them pillars over which they build their identity. These people, mostly inhabitants of the popular quarters and the periphery, when involved in a collective flow t o overcome discrimination, have their daily life fortified by a set of elements that can result in a culture constructed as a reaction to the social exclusion process. Identity and resistance converge in an ambiguous formation of critical conscience. The i ncitation to the consumption and the seductive traditional and commercial media influence the youth in the construction of identifications. Evaluating and questioning political measures to achieve better conditions for society in general demand, above al l, to know the reality of a population that already is not on edge of society anymore, but in the central spot of social problems.