A arquitetura na construção da imagem do Estado Getulista: Rio de Janeiro 1930/1945

Europe was overrun by a wave of totalitarian regimes between the decades of 1920 and 1940, motivated by a distrust of liberal democracy and economic liberalism, which, from being considered the foundation for the progress in the nineteenth century, was later regarded as responsible for the outbreak...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Manzo, Rafael lattes
Orientador/a: Alonso, Carlos Egídio lattes
Banca: Ferreira, João Sette Whitaker lattes, Faggin, Carlos Augusto Mattei lattes, Breia, Maria Teresa de Stockler e lattes
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Programa: Arquitetura e Urbanismo
Department: Arquitetura e Urbanismo
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2565
Citação:MANZO, Rafael. A arquitetura na construção da imagem do Estado Getulista: Rio de Janeiro 1930/1945. 2011. 302 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.
Resumo Português:A Europa foi tomada por uma onda de regimes totalitários entre as décadas de 1920 e 1940, motivados por uma descrença na democracia liberal e no liberalismo econômico que, de bases da modernidade impulsionadora do progresso a partir do século XIX, passaram a ser taxados como responsáveis pela eclosão da Primeira Guerra Mundial e pela crise econômica que se seguiu, acentuada pela quebra da bolsa de Valores de Nova York, em 1929. O Fascismo italiano e o Nazismo alemão destacaram-se, respectivamente, como o fundador e a imagem do sucesso do Totalitarismo de direita e influenciaram parte da América Latina, inclusive o Estado Novo de Getúlio Vargas. Esta tese explora a utilização da arquitetura por estes ditadores europeus, como um dos mais eficientes suportes propagandísticos da imagem de força que pretendiam transmitir, interna e externamente. O principal estilo adotado para este propósito foi o Tardo- classicismo, devido às suas possibilidades sígnicas de representar o poder instituído. No Brasil, um aparente predomínio da Arquitetura Moderna como a representação da imagem do Estado Getulista (1930-1945), causado pelo sucesso de arquitetos desta vertente e pela projeção internacional desta arquitetura, não se confirmou pois, através de um inventário de obras executadas e de uma análise semiótica dos edifícios dos principais ministérios getulistas, constatou-se a inexistência de uma linguagem arquitetônica única para este propósito
Resumo inglês:Europe was overrun by a wave of totalitarian regimes between the decades of 1920 and 1940, motivated by a distrust of liberal democracy and economic liberalism, which, from being considered the foundation for the progress in the nineteenth century, was later regarded as responsible for the outbreak of World War I and the economic crisis that followed, which reached its climax with the collapse of stock exchange in New York, in 1929. The Italian Fascism and German Nazism stood out among these regimes, respectively as the founder and the image of success of the totalitarian right-wing, which influenced part of Latin America, including the "Estado Novo" of Getúlio Vargas. The present thesis explores the use of architecture by such dictators as one of the most effective propaganda in the construction and propagation of the image of strength that the regime wished to convey, both national and internationally. The main style used for this propaganda was Tardo- classicism, which was seen as the perfect way to communicate the totalitarian government's power. In Brazil, there was no predominance of modernist architecture for the representation of the Vargas State (1930 1945) instead, the regime's image was not associated with an unique architectural style by internationally renowned architects, as this semiotic analysis of the buildings can confirm.