Luiz Gonzaga: o éthos do Rei do Baião

Esta disertación está situada en la línea de investigación sobre el éthos. Tiene por objetivo general contribuir con los estudios existentes sobre Luiz Gonzaga y por objetivos específicos levantar elementos biográficos de Luiz Gonzaga presentes en el corpus de las letras haciendo análisis de algunas...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Evangélio, Flávia Gomes lattes
Orientador/a: Brito, Regina Helena Pires de lattes
Banca: Bastos, Neusa Maria Oliveira Barbosa, Zanon, Marilena
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Programa: Letras
Department: Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3392
Citação:EVANGÉLIO, Flávia Gomes. Luiz Gonzaga: o éthos do Rei do Baião. 2017. 102 f. Dissertação (Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Resumo Português:Esta dissertação está situada na linha de pesquisa sobre o éthos. Tem por objetivo geral contribuir com os estudos existentes sobre Luiz Gonzaga e por objetivos específicos levantar elementos biográficos de Luiz Gonzaga presentes no corpus da letras fazendo análise de algumas composições do músico e cantor pernambucano; registrar elementos da identidade cultural nordestina em tais composições e identificar traços caracterizados do éthos do cantor e compositor Luiz Gonzaga. Como base teórica da Análise do Discurso, utilizaremos a noção de Éthos definida como a imagem do sujeito enunciador que constrói uma imagem de si no seu discurso e as relações dessa imagem com os estereótipos construídos no que se refere ao nordeste. Justifica-se essa pesquisa a atribuição de um valor científico às letras de canções de Luiz Gonzaga, valorizando o seu discurso a partir do lugar social que ocupa e a representatividade que faz do povo nordestino brasileiro. Sendo assim, buscou-se a reflexão de que a identidade nordestina, foi desvelada no éthos de Luiz Gonzaga, no qual o compositor relaciona a sua própria uma identidade regional de modo sedimentada. Analisou-se aqui as canções Asa Branca, A Volta da Asa Branca e A Vida do Viajante como base para justificar as características da maneira como Luiz Gonzaga interpretava e vivenciava o que era ser o nordestino. Canções escolhidas, pois marcaram a sua biografia.