A dispersão entre metrópoles : atuação do segmento habitacional do setor imobiliário no aglomerado urbano de Jundiaí

Our goal is to discuss the Sparse City through the actions of the Real Estate Segment with no pretension to exhaust this complex topic. From the premise that the city should be seen as a market’s byproduct to understand the valuation of urban land and its occupation. Our focus is the Urban Cluster o...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Baldusco, Lacir Ferreira lattes
Orientador/a: Simões Júnior, José Geraldo lattes
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Programa: Arquitetura e Urbanismo
Department: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU)
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2784
Citação:Baldusco, Lacir Ferreira. A dispersão entre metrópoles : atuação do segmento habitacional do setor imobiliário no aglomerado urbano de Jundiaí 2015. [250 f.]. Tese( Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, [São Paulo] .
Resumo Português:Nosso objetivo foi o de promover uma reflexão sobre a Cidade Dispersa por meio da atuação do Segmento Habitacional do Setor Imobiliário. Preliminarmente, partimos do princípio de que a cidade deve ser vista como um produto para podermos entender a valoração do solo urbano e sua ocupação. Por seu dinamismo econômico, pelo vigor da sua expansão urbana, ao mesmo tempo em que é um território virtual do planejamento estadual, escolhemos como referência territorial a Macrometrópole Paulista e, como objeto principal de estudo, a Aglomeração Urbana de Jundiaí. Os dados aqui apresentados, traçam o panorama transitório da dispersão, e o permanente das alterações do tecido urbano, seja por ocasião do processo de verticalização dos municípios centrais, mais especificamente nas zonas urbanas consolidadas, como pelo espraiamento nas franjas dos seus territórios por meio dos empreendimentos imobiliários horizontais, ou seja, através da implantação de loteamentos. Esse processo produz e difunde as ideias que visam a ocultar os reais processos de produção do espaço urbano desigual, vende a imagem do novo, do ineditismo na forma de morar e viver, quando, de fato, expressa as velhas formas de apropriação do solo urbano. O trabalho busca desvendar os critérios e as consequências da utilização de velhos instrumentos de parcelamento do solo, sedimentados em uma cultura especulativa, gerada tanto por investimentos públicos, quanto pelo capital imobiliário. Essas duas velhas forças são as responsáveis pelas cidades em que vivemos atualmente e que reproduzem, continuamente, um modelo que não favorece a qualidade de vida de seus habitantes. Por fim, através das informações obtidas junto ao Graprohab, órgão do Governo do Estado de São Paulo que concentra o licenciamento de todos os empreendimentos habitacionais, públicos e privados, foi possível demonstrar a tendência de verticalização nas cidades mais dinâmicas e prósperas como fator determinante para entender todo esse processo.
Resumo inglês:Our goal is to discuss the Sparse City through the actions of the Real Estate Segment with no pretension to exhaust this complex topic. From the premise that the city should be seen as a market’s byproduct to understand the valuation of urban land and its occupation. Our focus is the Urban Cluster of Jundiaí. For its economic dynamism and urban sprawl this area is part of the state planning virtual territory of the São Paulo Macrometropolitan Area. The data presented here outlines the urban landscape during the verticalization process of core municipalities, more specifically in the consolidated urban areas. These core municipalities are spreading the borders through the horizontal real estate, IE, through the deployment of subdivisions and housing developments on its fringes. This process produces and disseminates the ideas which aim to hide the real production processes of uneven urban spaces, sells the image of the new, the novelty in the style of life and how to live, when in fact express the old forms of ownership of the urban landscape. This work seeks to discuss the criteria and consequences of using old instruments of division of land, based on a speculative culture generated by both public investment and the real estate capital. These two old forces are responsible for the cities we live in today and that reproduce continually a model that does not help the quality of life of its inhabitants. Finally, using the information obtained from the GRAPROHAB (the state agency that oversees the licensing of all housing) public and private enterprises, it is possible to show the trend in vertical integration in the most dynamic and prosperous cities as a decisive factor for the spatial segregation of urban land.