A espacialização de trocas multiculturais em conurbações internacionais da fronteira Brasil-Uruguai

A complexidade espacial das cidades contemporâneas se deve a novas formas de segmentação social que reorganizam as expectativas de interação entre categorias sociais e informam a produção e apropriação do espaço urbano. Estes processos são mediados pela mobilidade através de fronteiras nacionais que...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Braga, Andrea da Costa
Orientador/a: Rigatti, Decio
Format: Tese
Language:por
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://hdl.handle.net/10183/85203
Resumo Português:A complexidade espacial das cidades contemporâneas se deve a novas formas de segmentação social que reorganizam as expectativas de interação entre categorias sociais e informam a produção e apropriação do espaço urbano. Estes processos são mediados pela mobilidade através de fronteiras nacionais que tem suas funções atualizadas a partir da integração econômica regional. Cidades-gêmeas em zonas de fronteiras internacionais adquirem novas funções como polos de integração transnacionais, chamando atenção os processos de conurbação transnacionais a que estão sujeitas. A pesquisa geográfica analisa estes processos e tipifica o fenômeno através de classificações baseadas em contiguidade, continuidade e densidade de funções compartilhadas para mensurar integração, subsidiar estratégias de cooperação internacional e estabelecer hierarquias regionais para redes de cidades. Nesta pesquisa buscou-se dialogar com estas noções a partir do campo da Arquitetura, numa abordagem socioespacial dos problemas de Planejamento Urbano de configuração de territórios híbridos que emergem do processo de conurbação entre cidades-gêmeas da fronteira Brasil – Uruguai. A partir de dois estudos de caso Santana do Livramento (BR) - Rivera (UY) e Chuí (BR) - Chuy (UY) descritos e analisados usando-se ferramentas e métodos da Sintaxe Espacial. Verificam-se categorias de semelhança entre conurbações internacionais ponderando o próprio processo de fusão dos sistemas urbanos como variável implicada na transformação da apropriação social do espaço. A hipótese é que estas conurbações não podem ser descritas como configurações sociais e espaciais a partir de suas partes, sem que se arrisque minorar a importância que a estrutura do espaço construído e o próprio processo de conurbação têm na organização das interações entre categorias sociais na vida cotidiana de cidades-gêmeas em zonas de fronteira internacional, transformando integração espacial, social e econômica. O processo de conurbação e a nodificação de redes de comércio popular são analisados a partir de hierarquias de integração-segregação, acessibilidade-conectividade, continuidade - interpenetração e relacionados à produção de categorias sociais moradorestranho e a emergência de centralidades funcionais transfronteiriças enfocando-se a agencia de imigrantes árabe-palestinos sobre a dinâmica urbana.
Resumo inglês:Social and spatial complexity is the most outstanding feature of contemporary cities. Spatial complexity is enhanced by new patterns of urban expansion informed by the restructuring of interactions between social categories which consider more often new forms of social and economic segmentation. These processes are mediated by mobility across national borders which have their functions updated by economic integration within geographical regions such as MERCOSUL. In this context, cities located along international borderlines acquire new functions related to their role as transnational integration hubs. It also calls attention to conurbation processes between twin cities. Geographical research has been particularly keen in investigating these processes addressing a wide range of typical cross border conurbations. Classification is based on interaction patterns and fluxes intensity between its parts, usually targeting cooperative strategies, economic and commuting between cities to evaluate their strength and hierarchical position amidst regional urban nets. These classifications are based on spatial continuity, contiguity and, especially, on shared or complementary functional centralities, since lower level economical activities such as street commerce are forces driving the conurbation process. Here these conurbations are described and analyzed as spatial configurations using Space Syntax theory and methods to verify structural similarities which enable to classify them as a distinguished urban type. The problem focuses on the urban system relational hierarchy of spatial integrationsegregation, accessibility-connectivity allowing the evaluation of these conurbations spatial patterns performance in relation to the emergence of transborder functional centralities, grassroots commercial networks nodes and middlemen minorities agency. Our hypothesis is that those conurbations cannot be described as a social and spatial configuration through its parts without risking obliterating the role material space has on regulating human interactions.