Análise semi-quantitativa da prova cruzada por citometria de fluxo no transplante renal : determinação de pontos de corte e impactos clínicos

Introdução: Testes de histocompatibilidade são indispensáveis para viabilizar o transplante renal. A prova cruzada por citotoxicidade dependente de complemento (CDC) tem sido a técnica padrão para avaliar risco imunológico pré-transplante, no entanto, a prova cruzada por citometria de fluxo (FCXM) p...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Ramos, Priscila de Moraes
Orientador/a: Jobim, Luiz Fernando Job
Co-advisor: Manfro, Roberto Ceratti
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://hdl.handle.net/10183/186144
Resumo Português:Introdução: Testes de histocompatibilidade são indispensáveis para viabilizar o transplante renal. A prova cruzada por citotoxicidade dependente de complemento (CDC) tem sido a técnica padrão para avaliar risco imunológico pré-transplante, no entanto, a prova cruzada por citometria de fluxo (FCXM) possui benefícios adicionais, como maior sensibilidade e análise semi-quantitativa através do Median Channel Shift (MCS). Objetivo: Definir pontos de corte de MCS baseado em correlação inter-técnicas e desfechos clínicos pós-transplante. Método: Estudo retrospectivo com pacientes candidatos a transplante renal no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, entre janeiro/2016-agosto/2017. Foram avaliadas 1705 provas cruzadas e 221 pacientes submetidos ao transplante. Resultados: A FCXM, relacionada ao CDC, apresentou sensibilidade=87%(FCXM-T) e 90%(FCXM-B), e VPN=98% para ambos. FCXM-B apresentou especificidade=43%, relacionada aos casos CDC-/FCXMB+. FCXM-T e -B detectaram 53% e 76% dos casos de DSA≥5001 (Donor Specific Antibody). MCS apresentou desempenho satisfatório em detectar CDC+ (AUC/IC): MCST=0,909(0,886-0,933) e MCSB=0,775(0,724-0,826). Pontos de corte de MCST=245 e MCSB=282 apresentaram melhor predição de CDC+. Não houve diferença na função do enxerto de pacientes transplantados com FCXM+. Apenas 30% das FCXM+ estiveram diretamente relacionadas com DSA pré-tx. No entanto, episódios de rejeição foram mais frequentes no grupo FCXM+vs.FCXM- (95%vs.86%, p=0,04). Conclusão: É possível calibrar o MCS baseado no CDC+, no entanto, significa um risco em termos da não detecção de anticorpos de baixo título. A FCXM+, em curto prazo, não deve ser por si só um fator impeditivo para o transplante. A análise conjunta do MCS e DSA parece ser uma boa ferramenta de seleção dos receptores renais.
Resumo inglês:Introduction: Histocompatibility tests are indispensable for enable the renal transplantation. Crossmatching tests for complement dependent cytotoxicity (CDC) has been a standard technique for assess pre-transplant immunological risk, however, the flow cytometry crossmatching test (FCXM) has additional benefits, such as increased sensitivity and semi-quantitative analysis through the Median Channel Shift (MCS). Objective: Define MCS cutoff values based on inter-technical correlation and post-transplant clinical outcomes. Methods: A retrospective study with renal transplant candidates at the Hospital de Clínicas of Porto Alegre, between January/2016-August/2017. A total of 1705 crossmatching and 221 patients submitted to transplantation were evaluated. Results: The FCXM, related to CDC, resulted in sensitivity=87% (FCXM-T) and 90% (FCXM-B), and NPV=98%, for both. FCXM-B resulted in specificity=43%, related to cases CDC-/FCXMB+. FCXM-T and -B detected 53% and 76% of cases of DSA≥5001 (Donor Specific Antibody). The MCS showed satisfactory performance in detecting CDC + (AUC/IC): MCST=0.909(0.886-0.933) and MCSB=0.775(0.724-0.826). Cutoff values of MCST=245 and MCSB=282 showed better prediction of CDC+. There was no difference in the graft function of patients transplanted with FCXM+. Only 30% of FCXM + were directly related to pre-tx DSA. However, rejection episodes were more frequent in the group FCXM+vs.FCXM- (95%vs.86%, p=0,04). Conclusion: it is possible to calibrate MCS based on CDC +, however, that means a risk in terms as to the non-detection of low-titre antibodies. The FCXM+, in the short term, should not be by itself an impediment to transplantation. Joint analysis of MCS and DSA seems to be a good tool for selection of renal receptors.