Relação entre planejamento estratégico e desempenho superior

O presente estudo aborda a relação entre o uso do planejamento estratégico em uma organização e seu desempenho. Para tanto, além da revisão bibliográfica e do levantamento de trabalhos realizados sobre o assunto, foi desenvolvida uma pesquisa com organizações listadas na Bolsa de Valores de São Paul...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Mundstock, Patrícia
Orientador/a: Luce, Fernando Bins
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://hdl.handle.net/10183/12907
Resumo Português:O presente estudo aborda a relação entre o uso do planejamento estratégico em uma organização e seu desempenho. Para tanto, além da revisão bibliográfica e do levantamento de trabalhos realizados sobre o assunto, foi desenvolvida uma pesquisa com organizações listadas na Bolsa de Valores de São Paulo para aferir o grau de associação entre as variáveis. A análise dos dados foi realizada através de análise fatorial, regressão linear e análise de cluster. O planejamento estratégico foi analisado com base na escala de formalidade de planejamento de Falshaw, Glaister e Tatoglu (2006), na escala de intensidade de planejamento de Hopkins e Hopkins (1997) e na escala de improvisação pós-planejamento de Slotegraaf e Dickson (2004). As variáveis dessas escalas foram comparadas com 4 indicadores de desempenho (desempenho geral, retorno sobre o patrimônio líquido, crescimento no lucro líquido e crescimento total das vendas), medidos com relação aos principais concorrentes das empresas estudadas e com relação à evolução nos resultados dos 3 últimos anos. Os resultados indicam que as empresas que se engajam mais profundamente em processos de planejamento obtêm melhores desempenhos do que as demais. Além disso, o processo mais formalizado também contribui, embora em menor grau, para o resultado das empresas. Por outro lado, foi verificado que a improvisação após o planejamento influencia negativamente no desempenho organizacional.
Resumo inglês:The present study focuses on the relationship between the strategic planning in an organization and its performance. For that purpose, besides the literature review, a research was developed with companies traded at Sao Paulo Stock Exchange (Bovespa) to verify the association degree among the selected variables. The analyses were done through the techniques of Factor Analysis, Linear Regression and Cluster Analysis. The strategic planning was analyzed with three developed and tested scales: planning formality by Falshaw, Glaister e Tatoglu (2006), strategic planning intensity by Hopkins e Hopkins (1997) and postplan improvisation by Slotegraaf e Dickson (2004). These variables were compared to 4 performance indicators (general performance, return on equity, net profit and total growth of sales), measured in two different ways: in comparison to companies’ major competitors, and relative to companies’ results in the past 3 years. The results indicate that companies which engage more deeply into the planning process attain better performance. Moreover, the formalized process also contributes, although to a lesser degree, for the companies result. On the other hand, it was found that the improvisation after the planning shows a negative influence on organizational performance.