Digestibilidade aparente de dietas para ovinos por meio do indicador externo LIPE®

Two experiments were conducted in order to evaluate the apparent digestibility of dry matter and nutrients using the LIPE® external indicator in sheep fed diets containing the following foods available for ruminants in Agreste of Pernambuco: cactus pear, bean residue (experiment 1) and, scrapes cass...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: SOUZA, Marcos Felipe da Silva lattes
Orientador/a: MAGALHÃES, André Luiz Rodrigues
Co-orientador/a: TEODORO, Ana Lúcia, MAIOR JÚNIOR, Rinaldo José de Souto
Banca: FERREIRA, Geane Dias Gonçalves
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal Rural de Pernambuco
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal e Pastagens
Department: Unidade Acadêmica de Garanhuns
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6494
Citação:SOUZA, Marcos Felipe da Silva. Digestibilidade aparente de dietas para ovinos por meio do indicador externo LIPE®. 2016. 74 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal e Pastagens) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Garanhuns.
Resumo Português:Foram realizados dois experimentos com o objetivo de avaliar a digestibilidade aparente da matéria seca e dos nutrientes com o uso do indicador externo LIPE® em ovinos alimentados com dietas contendo os seguintes alimentos disponíveis para ruminantes no Agreste de Pernambuco: palma forrageira, resíduo de feijão (experimento 1) e, raspa de mandioca e de capim elefante maduro (experimento 2). Utilizou-se para cada experimento oito ovinos machos Santa Inês, castrados, fistulados no rúmen, com peso médio corporal de 50 kg. Para a estimativa da produção fecal e da digestibilidade aparente dos nutrientes, o método com uso do indicador externo LIPE® foi comparado com o método da coleta total de fezes. O indicador foi fornecido na forma de cápsulas em dosagem de 250mg/animal durante sete dias consecutivos, sendo dois dias de adaptação e cinco dias para realização da coleta de fezes. O consumo de matéria seca (MS) não apresentou diferença entre os tratamentos do primeiro experimento. O consumo dos nutrientes apresentou diferenças estatísticas (P<0,05) para a variável EE (extrato étereo) não apresentando para os demais nutrientes. Em relação à digestibilidade da matéria seca não foi observada diferença estatística (P>0,05) (820,2; 816,1; 799,6; 794,4 g/Kg de matéria seca) entre os tratamentos e também dos nutrientes. O consumo de matéria seca do segundo experimento apresentou diferença (P<0,05) para o tratamento com capim elefante maduro, com o menor valor de consumo (973,61 g/kg dia). O mesmo comportamento foi observado para o consumo dos nutrientes e para a digestibilidade de MS (739,1; 650,5; 749,9; 695,5 g/Kg de matéria seca) e dos nutrientes. Houve diferença estatística (P<0,05) entre a digestibilidade aparente estimada com indicador externo LIPE® para as variáveis MS e MO (matéria orgânica) para os dois experimentos em relação à coleta total de fezes em todos os tratamentos utilizados. A digestibilidade aparente da matéria seca e dos nutrientes foi superestimada quando do uso do LIPE® em relação à coleta total de fezes no segundo experimento.
Resumo inglês:Two experiments were conducted in order to evaluate the apparent digestibility of dry matter and nutrients using the LIPE® external indicator in sheep fed diets containing the following foods available for ruminants in Agreste of Pernambuco: cactus pear, bean residue (experiment 1) and, scrapes cassava and elephant grass mature (experiment 2). They were used for each experiment eight male sheep Santa Inês, castrated, rumen, with average body weight of 50 kg. To estimate fecal production and apparent digestibility of nutrients was compared the external indicator LIPE® to the method of total feces collection. The indicator was provided in capsules of 250mg/animal dose for seven days, two days to five days adaptation to perform the collection of feces. The dry matter intake (g/day) showed no difference between the first experiment treatments. The nutrient intake presented statistical differences (P<0.05) for the variable EE (ether extract) not presenting for the other nutrients. In relation to dry matter digestibility, no statistical difference (P>0.05) (820.2, 816.1, 799.6, 794.4 g / kg dry matter) was observed between treatments and also nutrients. The dry matter intake of the second experiment presented a difference (P<0.05) for treatment with mature elephant grass, with the lowest consumption value (973.61 g/kg day). In relation to dry matter digestibility, no statistical difference (P>0.05) (820.2, 816.1, 799.6, 794.4 g/kg dry matter) was observed between treatments and also nutrients. The same behavior was observed for the nutrient intake and for the digestibility of DM (739.1, 650.5, 749.9, 695.5 g/kg dry matter) and nutrients. There was a statistical difference (P<0.05) between the apparent digestibility estimated with LIPE® external indicator for the variables MS and MO (organic matter) for the two experiments in relation to the total collection of feces in all the treatments used. The apparent digestibility of dry matter and nutrients was overestimated when using LIPE® in relation to total fecal collection in the second experiment.