A (re)produção social da escala metropolitana: um estudo sobre a abertura de capitais nas incorporadoras e sobre o endividamento imobiliário urbano em São Paulo

Nesta pesquisa buscamos compreender a produção social da escala metropolitana em um contexto atual de mundialização financeira. Neste sentido, reunimos dados referentes à abertura de capital nas incorporadoras do setor da construção civil brasileiras, abordando a penetração do capital financeiro em...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Flavia Elaine da Silva Martins
Orientador/a: Amelia Luisa Damiani
Banca: Margarida Maria de Andrade, Evânio dos Santos Branquinho, Odette Carvalho de Lima Seabra, Carlos de Almeida Toledo
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Geografia (Geografia Humana)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-25052011-123730/
Resumo Português:Nesta pesquisa buscamos compreender a produção social da escala metropolitana em um contexto atual de mundialização financeira. Neste sentido, reunimos dados referentes à abertura de capital nas incorporadoras do setor da construção civil brasileiras, abordando a penetração do capital financeiro em suas estruturas e a ampliação da escala de produção e de atuação geográfica destas empresas a partir de 2005. Estes dados foram iluminados com um estudo simultâneo sobre o endividamento imobiliário urbano, por meio da abordagem dos leilões de imóveis, trazendo os conteúdos do desemprego para a compreensão crítica do crédito imobiliário urbano. O mapeamento dos dados se concentrou na Região Metropolitana de São Paulo. Identificamos o desdobramento da noção de moderna propriedade da terra em posse e propriedade, liberando a propriedade abstrata para circular como mercadoria e concentrando na posse as lutas cotidianas pela habitação. Constatamos a introdução do endividamento imobiliário como forma significativa de acesso à habitação nas periferias metropolitanas. Este endividamento foi compreendido como elemento de ritmanálise, capaz de transmitir os ritmos de valorização do capital mundial financeiro, definidos pela presença do capital fictício, aos ritmos de trabalho, de exploração e de espoliação urbanos, redefinindo o modo de vida metropolitano, notadamente por meio do acesso à habitação e à cidade.
Resumo inglês:In this research, we have sought to understand the social production of the metropolitan scale in the contemporary context of financial globalization. Having this in mind, we have gathered data concerning Initial Public Offerings (IPOs) by Brazilian construction firms, bringing into focus the penetration of finance capital into the firms structures, as well as the firms larger scale of operation and geographical reach from 2005 onwards. These data are clarified by a parallel investigation on urban mortgage indebtedness through an analysis of real estate auctions in connection to unemployment levels in metropolitan areas. Data mapping has been limited to the Metropolitan Area of São Paulo. We have recognized the development of modern landed property into (the opposing forms of) ownership and tenure as a process that makes it possible for abstract property to circulate as a commodity while everyday housing struggles focus on tenure rights. We have also noted that mortgage indebtedness has become a fundamental form of access to housing on the metropolitan peripheries. This mortgage indebtedness has been interpreted as an element of rhythmanalysis, in which the rhythms of the valorization of global finance capital characterized by the presence of fictitious capital are transmitted to the rhythms of labor, of urban exploitation and urban dispossession, reshaping the metropolitan way of life, especially with regard to the access to housing and to the city in a general sense.