Avaliação da influência do meio ambiente do sistema de berçário na imunidade inata de Camarões Litopenaeus vannamei (Boone, 1931).

A aquicultura sofre diferentes pressões por um lado o impacto que as doenças causam na produção, e por outro a pressão por parte de grupos ambientalistas e do governo devido ao impacto ambiental. Diferentes soluções foram propostas para esses problemas como probióticos e imunoestimulantes para preve...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Renata Stecca Iunes
Orientador/a: Jose Roberto Machado Cunha da Silva
Banca: Sergio Luiz de Siqueira Bueno, José Roberto Kfoury Junior
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Ciências (Biologia Celular e Tecidual)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42134/tde-17062013-091258/
Resumo Português:A aquicultura sofre diferentes pressões por um lado o impacto que as doenças causam na produção, e por outro a pressão por parte de grupos ambientalistas e do governo devido ao impacto ambiental. Diferentes soluções foram propostas para esses problemas como probióticos e imunoestimulantes para prevenir e controlar doenças com nenhum ou algum sucesso. Outra opção seria o biofloco para minimizar o impacto ambiental, com excelentes resultados zootécnicos. Porém não sabemos se o sistema de biofloco estimula ou inibe o sistema imune de camarões (Litopenaeus vannamei). Esse é o objetivo desse estudo, saber se o sistema de biofloco altera a contagem total e diferencial de hemócitos, os índices fagocíticos, utilizando ensaio de fagocitose in vitro com Sacaromises cerevisae e a produção de ânion superóxido pelo ensaio de Nitroblue tetrazolium (NBT). Na contagem total de hemócitos nos 2 primeiros meses os animais criados em água clara possuem uma contagem maior que os criados em biofloco enquanto que no 4° mês os animais de biofloco possuem uma contagem maior. Na contagem diferencial no 4°mês as células hialinas estão em maior porcentagem nos animais criados em biofloco enquanto que as granulares e simi-granulares estão em menor porcentagem nesses animais, quando comparamos com os animais criados em água clara. Os índices fagocíticos e a produção de ânion superóxido não apresentam diferença entre os animais criados em água clara e os criados em biofloco.
Resumo inglês:The aquaculture production suffers different pressure in one hand disease, and in the other its environment impact. Different solutions are offered to solve this problems such as probiotics and immunostimulant to prevent and control the diseases with some or no success. Another option is the biofloc to minimize its environmental impact, with excellent results to zootechincal characteristics. But it is not known whether biofloc stimulate or inhibits the shrimp (Litopenaeus vannamei) immune system. That is what our study aim to answer if the biofloc system affects or not the total and differential hemocytes count, the phagocityc indexes of in vitro phagocytosis with Sacaromises cerevisae and the production of superoxide anion with the Nitroblue Tetrazolium (NBT) assay. At the first 2 month the animal rare in clear water had a higher total hemocyte count, while it was higher in the animals rare in the biofloc at the 4th month. At the 4th month the hyalines cells had a higher concentration in animals rare at biofloc system, while the granular and semi-granular cells had a lower concentration in this animals when compared with the ones rare at the clear water system. The phagocityc indexes and the production of superoxide anion did not have any difference between animals rare at clear water system and biofloc system.