Perfil de células natural killer e dendríticas em casos de soroconversão espontânea e infecção crônica pelo vírus da Hepatite C

INTRODUÇÃO: O fato do vírus da Hepatite C (HCV) estabelecer uma infecção crônica persistente, na maioria dos casos, mesmo sendo reconhecido e alvejado pelos sistemas imune inato e adaptativo sugere que o mesmo tenha desenvolvido estratégias eficazes para driblar a ação desses sistemas. O HCV interfe...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Fernanda de Mello Malta
Orientador/a: João Renato Rebello Pinho
Banca: Esper Georges Kallas
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Ciências em Gastroenterologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5168/tde-23012014-122625/
Resumo Português:INTRODUÇÃO: O fato do vírus da Hepatite C (HCV) estabelecer uma infecção crônica persistente, na maioria dos casos, mesmo sendo reconhecido e alvejado pelos sistemas imune inato e adaptativo sugere que o mesmo tenha desenvolvido estratégias eficazes para driblar a ação desses sistemas. O HCV interfere na fase inicial de ativação da resposta imune adaptativa alterando a função das células dendríticas (DCs), o que provavelmente leva a uma ativação deficiente das células natural killer (NKs) e de linfócitos T. Portanto, a realização de estudos sobre DCs e NKs na infecção pelo HCV se torna de fundamental importância para a compreensão da patogênese e persistência desta infecção. MÉTODOS: Foram selecionados indivíduos com resolução espontânea da infecção pelo HCV, indivíduos com infecção crônica e indivíduos saudáveis. A técnica de citometria de fluxo foi utilizada para a determinação da frequência e do fenótipo de células dendríticas e NKs nesses indivíduos. Além disso, foi avaliada a atividade citotóxica das células NKs sob estímulo de IL-12 e IL-18, e também da linhagem K-562. RESULTADOS: A frequência de DC mielóides (mDC) expressando CD86, nos indivíduos crônicos, foi elevada e uma correlação positiva com a carga viral foi observada. Na análise do ensaio funcional foi observado que as populações de células NKs CD7+ CD57+ apresentaram maior expressão da molécula CD107a e baixa produção de IFNy nos indivíduos com infecção crônica. A constante exposição das células imunes ao IFN-alfa, induzido durante a infecção pelo HCV, resulta na polarização do fenótipo citotóxico, caracterizado por células NK ativadas com elevado poder de degranulação, mas com deficiente produção de IFN-y. CONCLUSÕES: As frequências das células DCs e NKs eram semelhantes em todos os indivíduos. A expressão da molécula CD86 na superfície das mDCs pode ter sido induzida pela presença do HCV, uma vez que foi observada correlação positiva com a carga viral. Células NK citotóxicas, altamente diferenciadas e incapazes de produzir IFN-y foram as mais frequentes na infecção crônica pelo HCV. A baixa produção de IFN-y por parte dessas células é um dos fatores envolvidos na deficiente ativação de uma resposta imune adaptativa capaz de controlar a infecção pelo HCV
Resumo inglês:INTRODUCTION: Hepatitis C virus (HCV) develops a chronic persistent infection in most of the cases, even being recognized and targeted by the innate and adaptive immune systems, suggests that the virus have developed effective strategies to circumvent the action of these systems. HCV interferes in the initial activation of the adaptive immune response by altering the function of dendritic cells (DCs), which probably leads to a deficient activation of natural killer cells (NK) and T lymphocytes. Therefore, studies of DCs and NK in HCV infection are very important for understanding the pathogenesis and the persistence of this infection. METHODS: We selected subjects with spontaneous resolution of HCV infection, with chronic infection and healthy subjects. Flow Cytometry was used to determine the frequency and phenotype of dendritic cells and NK cells of these individuals. In addition, we evaluated the NK cell cytotoxic activity in response to stimulation of IL-12 and IL-18 and in co-cultivation with the cell line K-562. RESULTS: In individuals with chronic infection, the frequency of myeloid (m) DC cells expressing CD86 was elevated and a positive correlation between these cells and viral load was observed. It was observed in chronic infected individuals that NK cells co-expressing CD7 and CD57 showed higher expression of CD107a and low production of IFN gamma. The constant exposure of immune cells to IFN-alfa induced during HCV infection results in the polarization of cytotoxic phenotype characterized by activated NK cells with high power degranulation, but with impaired production of IFN-y. CONCLUSIONS: The frequency of DCs and NK cells were similar in all individuals. The expression of CD86 molecule on the surface of mDCs may have been induced by the presence of HCV, since a positive correlation was observed with viral load. Cytotoxic NK cells, highly differentiated and unable to produce IFN-y, were the most frequent in chronic HCV infection. The low production of IFN-y by these cells is one of the factors involved in the poor activation of an adaptive immune response able to control HCV infection